Ibytes Web Site

Repetidora Pré-Histórica

Conforme promessa de tempos atrás, e depois que comecei a receber “cobranças” a respeito de como conectar rádio de comunicação a telefone celular vou descrever de forma básica como é feito isso, deixo apenas como ideia  já que acho pouco provável que alguém se arrisque a fazer.

Na verdade, isso é coisa ultrapassada, mas pode servir para alguém, na década de 80 esse recurso era muito útil, e até hoje é.

Nas comunicações normais, de rádio para rádio, é usado o sistema tradicional, um fala e depois escuta, mas quando algum membro da família de algum embarcado liga de um telefone convencional ou de um celular para a guarda costeira e deseja falar com alguém em alto mar, é esse tipo de conexão que é feito, aliás, é um tipo de conexão que poderia ter sido bem melhorado nos últimos anos, mas com a evolução dos telefones celulares e da telefonia por satélite, esse tipo de comunicação não teve investimentos.

O que acontece de fato é que o operador de rádio solicita ao operador de rádio em alto mar para que troque de canal para que deixe a freqüência do canal 16 livre, e no canal indicado, a conversa entre o familiar “em terra” e o embarcado “lá fora” ocorra normalmente, obviamente que sem nenhum sigilo, uma vez que é em radiofrequência que pode ser sintonizada, para dizer a verdade, se escuta coisas de deixar o cabelo em pé.

Nesse tipo de conexão, o operador da estação base só solicita a troca de canais e aperta um botão que por sua vez aciona um circuito eletrônico relativamente simples, e este aciona vários relês que fazem as conexões necessárias.

Mas, aqui a sugestão é contrária, embora exista uma ligação de entrada, não haverá ninguém na estação para acionar o rádio transmissor, então tudo deverá ser de forma automática, não vou fazer esquemas, vou apenas descrever, assim cada qual poderá testar segundo suas necessidades.

Esse tipo de “trapizunga” aqui é chamado de “gambá”, pelo fato de geralmente ficar escondido em algum o menos suspeito que for possível.

Deve ser previsto o consumo de bateria, por isso é preciso deixar um carregador de baterias ligado o tempo inteiro, obviamente que se não tiver energia elétrica, as baterias devem ser trocadas ou recarregadas.

Trapizunga é o mesmo que equipamento, ou equipamentos, é uma das gírias de operadores de rádio da faixa do cidadão, ou rádio PX.

Gambá é o mesmo que repetidora escondida, é gíria utilizada por operadores de rádio da faixa de VHF, chama-se de gambá por ser repetidora não autorizada, e sendo assim, se alguém vir um “gambá”, já era, ele não vira assado, vira outro equipamento na QAP daquele que encontrou o gambá.

Bem, é necessário que quando o telefone tocar, ele ligue o transmissor, então é preciso saber qual o tipo de rádio que será usado, qual a distância que é necessário que a transmissão alcance?

Depende, para até 10 Km sem muitos obstáculos 3 rádios desses cobra 148 GTL servem, em amplitude modulada ele tem próximo de 5 watts de saída e 40 canais normais, as antenas tem que ser para a faixa dos 11 metros e colocadas no local mais alto que for possível, ou seja, antenas enormes, mas muito fáceis de fazer, se estiver em fazendas não existem problemas com tamanho de antenas.

O detalhe é que preferencialmente devem ser três equipamentos iguais, no local onde ficar o telefone fica um rádio para repetir a transmissão com o áudio que vem do celular, sintonizado em um canal pré-estabelecido, como exemplo, canal 1.

Outro rádio, que pode ser só receptor, desde que sintonize o canal 60 da faixa do cidadão, é desse rádio que será retirado o áudio que será aproveitado para acoplar no celular.

Note que um dos rádios (o transmissor) recebe o áudio do celular e transmite via ondas eletromagnéticas até a estação de escuta, o outro rádio (receptor) recebe o áudio que é enviado também através de ondas eletromagnéticas da estação de escuta e injeta no celular, o celular é full-duplex, ou seja, recebe e transmite ao mesmo tempo, mas no caso dos rádios não, por isso é preciso escutar e depois falar, quem fala ao telefone poderia ser avisado, mas como a educação manda que primeiro um fale e depois o outro, tem dado certo até os dias de hoje.

O receptor do local onde fica o telefone deve ficar sintonizado no canal 60, note que no transmissor foi sugerido o canal 1, o motivo é simples, quando o rádio da base transmitir, será feito um chaveamento e a transmissão da base será no canal 60, com isso é evitado que existam interferências, e a sintonia onde está o celular será feita no canal 60.

Na “base”, o rádio servirá para escutar e também para transmitir, por isso deve ficar sintonizado no canal 1, pois é esse o canal do rádio transmissor que será acionado pelo telefone, e esse canal ficará ocupado até que o telefone tenha a ligação encerrada, mas isso não impede que seja interrompida a escuta com uma transmissão, por isso a utilização de dois rádios recebendo e transmitindo em canais diferentes.

Para não causar interferência, ao pressionar o PTT, o rádio da base irá transmitir para o canal 60, isso é feito aterrando durante a transmissão o pino 10 do PLL do rádio (se for 148 GTL), isso é fácil de fazer como um micro relê, ao apertar o PTT automaticamente a freqüência muda.

Se optar por usar apenas dois rádios, os interlocutores devem utilizar a velha palavra “câmbio” sempre que deixar a vez para o outro.

Com a tecnologia atual, é pouco provável que alguém se aventure numa empreitada dessas, mas fica a descrição do processo de uma repetidora de celular, bem “fajunta” é claro, mas é um recurso que já foi muito utilizado, e ainda é, com a mudança apenas da faixa de freqüência de operação, no caso, hoje em dia é utilizada a faixa de frequências de VHF ou UHF para a mesma função.

Para não causar interferência, ao pressionar o PTT, o rádio da base irá transmitir para o canal 60, isso é feito aterrando durante a transmissão o pino 10 do PLL do rádio (se for 148 GTL), isso é fácil de fazer como um micro relê, ao apertar o PTT automaticamente a freqüência muda.

Se optar por usar apenas dois rádios, os interlocutores devem utilizar a velha palavra “câmbio” sempre que deixar a vez para o outro.

Acesse o Canal Ibytes no Youtube
Ads Blocker Image Powered by Code Help Pro

BLOQUEADOR DE ANUNCIOS DETECTADO!

Detectamos que você está usando uma ou mais extensões para bloquear anúncios.

Por favor, coloque www.ibytes.com.br na lista de permissões.

Nossos anúncios não são invasivos e a renda com os anúncios é destinada a pagar hospedagem e demais custos para manter um site visível na rede mundial de computadores.

E você deve ficar sabendo de algo que os criadores de bloqueadores de anúncios não informam, mas ele capturam seus dados, sua localização, suas preferências e tudo mais relacionado a você e vendem essas informações para terceiros.

Ou você acha que eles trabalham de graça? A motivação é obter seus dados para comercializar.

www.ibytes.com.br não captura informações de seus usuários, apenas exibe anúncios como forma de pagar parte das despesas relacionadas ao site.

Veja aqui nossa política de privacidade.

Caso você prefira, existe a possibilidade de navegação sem anúncios com acesso pago, caso tenha interesse, escolha uma das opções abaixo:

Para contato direto com responsável pelo website Ibytes e pelo do canal Ibytes no Youtube através do Telegram, clique nesse link.

Para contato direto com responsável pelo website Ibytes e pelo do canal Ibytes no You Tube através do WhatsApp, clique nesse link.

Assuntos que não tem nada a ver com os assuntos do website Ibytes e do Canal Ibytes no Youtube, serão sumariamente ignorados.