Tecnologia e Frequências Celular

Existe muita coisa que não é dita a respeito de tecnologia e principalmente nas frequências de operação em cada banda que funcionam as redes de telefonia celular.

O motivo deve ser o medo de alguém causar interferências na rede, e omitindo ou mentindo sobre qual a frequência exata que funciona cada tipo de tecnologia de rede acham que vão impedir que a rede funcione 100% sem falhas e que ninguém vai saber qual a real frequência de operação.

A radiofrequência, dependendo de quem usa e como usa, pode ser usada tanto para o bem quanto para o mal, claro que a tendência do ser humano é imprevisível, como usar o conhecimento depende do caráter de cada ser humano.

Imagina alguém, sabendo a exata frequência de operação de uma determinada operadora , numa determinada banda e colocar no pé de uma antena um aparelho com uma portadora com 1.000 watts?

Não é só o problema de quantas pessoas ficarão sem comunicação, seja por voz ou por falta de acesso à internet, o problema para a operadora é o prejuízo econômico, para evitar problemas é que se omite a real frequência de operação e causa problemas ao usuário final que deseja comprar antenas, por exemplo.

Em todo caso, não é tão simples anular completamente uma estação ERB, pois o celular está sempre procurando a antena da ERB que tem o melhor sinal e a menor quantidade de usuários.

E se por algum motivo o sinal caí a um certo nível, a potência do celular aumenta para não perder o sinal com a torre, e se mesmo assim não conseguir manter a conexão, o sistema do celular procura por uma torre próxima que tenha um sinal que possa fazer ou manter a conexão, é um sistema complexo e eficiente.

Sobre as frequências de operação de cada operadora, em cada localidade é diferente, referente a tecnologia empregada, também depende da disponibilidade de cada região.

Então acreditar no que dizem as operadoras, é perda de tempo, quem estiver pesquisando sobre o assunto é bom comprar equipamentos e sair a campo pesquisar e anotar cada informação e depois usar essas informações.

Não vou expor frequências de operação nem nomes de operadoras, mas nas minhas pesquisas encontrei as tecnologias e as frequências (que são as informadas pelas operadoras) que listo a seguir, os dados obtidos são da cidade de Itajaí, Santa Catarina.

Em 850 MHz, 2G GSM: GPRS, EDGE, em 1725 MHz GPRS e EDGE (sem acesso a internet)

Em 900 MHz GSM, em 1800 MHz e em 1900 MHz GSM.

Em 1900 MHz (Banda 2) e 2100 MHz (Banda 2) 3G.

Em 850 MHz (banda 5) e na banda 4 AWS

4G nas Bandas 2100 MHz (banda 1), em 1900 MHz (banda 2), em 1800 MHz (banda 3), em 850 MHz (banda 5), em 2600 MHz (banda 7), em 900 MHz (banda 8)

Com portadora de sinal mas com as estações inativas, foram encontradas em 700 MHz (banda 12), em 700 MHz (banda 13), em 700 MHz (banda 17), B28(em 700 MHz (banda 28).

O funcionamento da portadora indica que poderá funcionar em breve ou está simplesmente em testes para ser instalado em definitivo em outro local.

Nos dados acima, afirmo que as frequências são as divulgadas pelas operadoras, seja em forma de faixa de frequências ou de bandas de operação, cada banda corresponde a uma quantidade de canais que funcionam dentro de um determinado espaço dentro do espectro de frequências.