Serigrafia na Eletrônica

Na eletrônica, a técnica de impressão em silk-screen foi e ainda é usada em larga escala, apesar de todos os avanços, e não, não é para pintar os componentes eletrônicos como um engraçadinho me escreveu dia desses.

Pela falta de conhecimento no ramo e por não conseguir sequer criar uma tela, existem aqueles que desistem e ainda tentam impor aos outros como se aquilo que não conseguem fazer outros também não teriam a capacidade de fazer.

Existem aqueles que pensam que numa PCB são pintadas as trilhas de cobre na placa, e que é esse o processo para podermos utilizar as trilhas das placas PCB.

As PCBs virgens vem com uma camada de cobre espalhada sobre sobre a superfície de fenolite, essa camada pode ser de várias espessuras, o comum é uma onça (mais ou menos 1 mícron) e nós pintamos as trilhas que queremos que fiquem na placa e a corrosão é utilizada para descartar a parte que não faz parte das trilhas que desejamos.

A serigrafia é uma técnica de impressão, imprime sobre qualquer superfície, é claro que iniciantes tem um pouco mais de dificuldade, a rapidez e a qualidade do trabalho final vem com a experiência.

Na eletrônica, a impressão em silk-screen requer a montagem de um quadro para fixar a matriz, e a matriz, ser gravada com o layout da futura PCB, e é nesse momento que se escolhe o tipo de malha, o tipo de emulsão e com base no tipo de tinta que será usado na impressão do layout.

Sendo o objetivo de placas de circuito impresso, a emulsão fotográfica deve ser com base em solvente, pois é mais dura e é resistente a tintas com base em solvente, não que emulsão baseada em água não dê certo, mas se usar uma tinta com base em solvente a tela se deteriora muito rápido.

Tintas acrílicas servem para placas de circuito impresso, porém a tinta recomendada é a tinta PU base solvente, tipo da malha para impressão de placas em PCB pode ser malha de nylon com 80 a 120 fios.

Malha muito fina a tinta não passa e malha muito grossa borra muito.