Onde São Usados os Bloqueadores

Os aparelhos bloqueadores de telefones celulares foram projetados originalmente para a polícia e para os militares poderem interromper a comunicação dos criminosos e dos terroristas.

Atualmente, as finalidades são várias, esbarrando inclusive na legislação vigente, tanto é que um bloqueador de sinais que tem por objetivo salvar vidas é considerado ilegal pelas leis brasileiras.

Nas bombas que explodiram o trem de passageiros na Espanha em março de 2004, como também nos ataques em Bali em outubro de 2002 e em Jacarta em agosto de 2003, os telefones celulares foram usados para detonar os explosivos.

Foi amplamente divulgado pela imprensa que um bloqueador de telefone celular impediu o assassinato do presidente paquistanês Musharraf em dezembro de 2003.

Quando o presidente Bush visitou Londres, em novembro de 2004, foi divulgado que a polícia britânica levou em conta o uso dos bloqueadores de celulares para proteger a comitiva de carros do presidente através de Londres.

Durante um seqüestro, a polícia pode controlar quando e onde o seqüestrador pode fazer um telefonema.

A polícia pode bloquear os telefonemas durante uma incursão para a busca de drogas para que os suspeitos não possam se comunicar para fora da área.

Os bloqueadores de celulares podem ser usados em locais onde as transmissões de rádio são perigosas, tais como depósitos de produtos químicos ou silos.

O bloqueador TRJ-89 da Antenna System and Supplies Inc. possui o seu próprio gerador de eletricidade e pode bloquear as comunicações dos telefones celulares em um raio de 8 km.

As empresas usam bloqueadores para evitar a espionagem industrial, bloqueando as transmissões de voz e de fotos dos telefones celulares com câmera.
Numa atitude menos aceitável, há rumores de que hotéis instalam bloqueadores para que os hóspedes sejam forçados a usarem os seus telefones, que possuem tarifas mais altas.

Mas não é só para coisas consideradas éticas e dentro da lei que os bloqueadores são utilizados.

Nos EUA, Reino Unido, Austrália e muitos outros países, o bloqueio dos serviços de telefonia celular ou qualquer outra forma de transmissão eletrônica não autorizada é crime.

Nos EUA, o bloqueio dos telefones celulares está coberto pelo Communications Act de 1934 (em inglês), lei federal que proíbe as pessoas de “interferir maliciosamente ou propositalmente na comunicação via rádio de qualquer estação licenciada ou autorizada”.

Na realidade, “a produção, importação, venda ou oferta de venda, incluindo a propaganda de aparelhos projetados para bloquear ou atrapalhar as transmissões é proibido” também.

O bloqueio de celulares é visto como roubo de propriedade porque uma empresa privada comprou os direitos do espectro de rádio bloqueado.

Isto também representa um perigo para segurança porque o bloqueio de celulares afeta todos os telefonemas na área, não somente os que se deseja atingir.

O bloqueio de celulares pode impedir o telefonema de uma babá tentando falar com os pais da criança ou alguém na tentativa de chamar uma ambulância, por exemplo.

A FCC, Comissão Federal de Comunicações norte-americana, está encarregada de tornar as leis relativas ao bloqueio de celular mais rígidas.

É bom que fique claro que até hoje, 18/09/2018 não se tem notícia real que a agência processou alguém.

Pelas leis americanas, as multas podem chegar até US$ 11 mil ou prisão de até um ano, e o aparelho usado no bloqueio pode ser apreendido e entregue ao governo.

Na maioria dos países, inclusive no Brasil, é ilegal para os cidadãos comuns bloquear as transmissões dos telefones celular, mas já existem países que permitem que empresas ou organizações governamentais instalem bloqueadores em áreas onde o uso do celular é visto com um incômodo para o público.

Em dezembro de 2004, a França legalizou o uso do bloqueador de celulares nos cinemas, salas de concerto e outros lugares onde se realizam espetáculos.

A França está desenvolvendo uma tecnologia que permitirá que os telefonemas de emergência furem o bloqueio.

A Índia instalou bloqueadores no Parlamento e em algumas prisões.

Foi divulgado que as universidades na Itália adotaram o bloqueio para evitar que os estudantes colem nas provas.

Os alunos estavam tirando fotos das provas com os seus celulares com câmera e enviando para os outros alunos.
Com os telefones celulares tocando nas salas de cinema, casamentos e salas de aula, não é à toa que as pessoas querem diminuir a intromissão nas suas vidas.

Então, o que pode ser feito do ponto de vista legal para parar com o uso indevido do telefone celular?

Enquanto a lei claramente proíbe o uso de aparelhos que interrompam o sinal dos telefones celulares, não existem leis contra o seu bloqueio passivo, ou seja, o uso de coisas como papel de parede ou materiais de construção embebidos com fragmentos de metal para evitar que o sinal do celular alcance certo lugar interno ou externo.

Algumas construções têm projetos que bloqueiam os sinais de rádio acidentalmente devido ao uso de paredes de concreto espessas ou estruturas de aço.

As empresas estão trabalhando com aparelhos que controlam o telefone celular, mas não “bloqueiam o sinal”.

Um dispositivo envia as chamadas para o correio de voz e bloqueia as chamadas enviadas.

O argumento é que o telefone ainda funciona, então tecnicamente ele não está bloqueado.

Alertas de telefone celular são instrumentos que indicam a presença de sinal de celular.

Estes alertas estão sendo usados em hospitais onde os sinais dos celulares podem interferir com o equipamento médico.

Quando o sinal é detectado, os usuários são avisados para desligar os seus telefones.

Exemplo de bloqueador de sinal de celular comercial e original. 5 bandas, e custo aproximado USD 350

Para uma solução menos técnica, a Coudal Partners, uma empresa de projetos em Chicago, lançou a SHHH, a Sociedade dos Telefones Móveis Silenciosos.

No site desta associação, é possível baixar uma mensagem para enviar para as pessoas que estão perturbando você com o uso do celular, expressando a sua falta de interesse nos assuntos particulares destas pessoas.