Indutor, Bobina ou Solenoide

Neste texto a abordagem é sobre o indutor, a bobina ou solenoide, do seu funcionamento e das suas aplicações.

 

O componente chamado de indutor pode ter vários formatos e ser usado em várias aplicações do mundo da elétrica e principalmente no mundo da eletrônica.

 

O indutor, também chamado de solenoide ou de bobina, é um dispositivo elétrico passivo capaz de armazenar energia criada em um campo magnético formado por uma corrente alternada.

 

O indutor é um componente que é usado em circuitos elétricos e em circuitos eletrônicos com a finalidade de armazenar energia através de um campo magnético.

 

A palavra indutor pode ter diferentes significados de acordo com o contexto apresentado.

 

Mas quando se fala de elétrica, define-se o indutor como qualquer fio condutor enrolado sobre ele mesmo ou enrolado sobre outro material condutor.

 

As voltas que o fio condutor desenvolve sobre o próprio fio condutor ou sobre outro material sobre o qual ele é enrolado, são chamadas de espiras.

 

Em corrente contínua o indutor se comporta como um pedaço de fio e tem a mesma resistência em ohms do fio que forma o indutor.

 

Num resumo simples, caso o indutor seja alimentado por uma corrente contínua, ele vai se comportar como uma ligação em curto-circuito e não será criado nenhum campo magnético.

 

Mas em corrente alternada, quando uma corrente percorre as espiras, acontece uma sequência de propriedades muito interessantes para serem usadas em circuitos elétricos ou em circuitos eletrônicos.

 

A propriedade mais comum e que talvez seja também a mais utilizada, é a geração de um campo magnético quando há tensão alternada nos terminais do indutor.

 

Quando se fala em indutor já fica claro que tem tudo a ver com o campo magnético.

 

Isso porque quando a corrente alternada passa por um fio condutor, um campo magnético é criado ao seu redor.

 

Enrolar um pedaço de fio formando as espiras e consequentemente formando um indutor, é a forma de potencializar o campo magnético.

 

Quanto maior for o número de voltas do fio que forma o indutor, maior será a intensidade do campo magnético.

 

E quanto mais forte for o campo magnético, maior será sua capacidade de atração de materiais como o ferro e o aço, isso só para citar um exemplo.

 

Quando uma corrente passa pelos enrolamentos do indutor que tem em seus terminais a diferença de potencial, é criado um campo magnético, e neste campo magnético o indutor tem a capacidade de armazenar energia.

 

A capacidade de armazenar energia em forma de campo magnético de um indutor, é denominada de indutância, sendo medida em Henryes (cujo símbolo é H).

 

O fio da bobina pode ser enrolado com núcleo de ar e ser auto sustentado ou ser enrolado sobre outro tipo de material.

 

Quando enrolado sobre outro material, descreve-se o indutor dizendo que o material sobre o qual o fio está enrolado é o núcleo do indutor.

 

Um detalhe: O material do núcleo é justamente o que diferencia os tipos de indutores.

 

Existem alguns tipos de indutores que são os mais comuns, vou citar alguns.

 

O indutor de Núcleo ferromagnético é um tipo de núcleo que garante uma indutância maior, mas existem perdas bem grandes quando se utiliza este tipo de núcleo.

 

O indutor de Núcleo laminado é um tipo de núcleo que é feito de finas camadas de aço-silício envolvidas em um verniz, sendo muito utilizado em transformadores. O Núcleo laminado tem perdas menores do que o núcleo de ferro magnético.

 

O Indutor de Núcleo de ar é um tipo de indutor que não existe nenhum material neste núcleo, somente o ar. A indutância é baixa e não são apresentadas perdas.

 

Este tipo de núcleo é bastante utilizado em altas frequências.

 

Indutor de Núcleo de ferrite é o tipo de indutor onde o núcleo é constituído por um tipo de cerâmica ferromagnética não condutora, sendo excelente em altas frequências.

 

As bobinas elétricas são consideradas indutores, sendo usadas em diversas aplicações, uma dessas aplicações é evitar a variação da corrente elétrica.

 

Levando em consideração a criação do campo magnético, podemos perceber que as bobinas estão presentes em todos os tipos de motores elétricos, principalmente as bobinas de cobre.

 

Podemos destacar também a presença das bobinas nos transformadores de potencial.

 

Nos automóveis também encontramos um tipo de bobina que é a bobina de ignição, cuja função é criar a faísca que incendeia a gasolina, permitindo o funcionamento do veículo.

 

Nos transformadores as bobinas são o elemento principal para fazer a transformação da energia elétrica, alterando os valores de tensão e de corrente.

 

Na eletrônica, uma infinidade de tipos de indutores são utilizados, cada circuito com sua necessidade, e justamente por isso, existem indutores de vários tipos e características e de valores em henry.

 

Na imagem abaixo, alguns modelos de indutores:

Até a próxima publicação.

Acesse o Canal Ibytes no Youtube