Monte Testador de Indutância

Quem monta circuitos de radiofrequência sabe que indutores (ou bobinas) de diversos tipos e de diversas propriedades são necessários, e comprar pode não ser possível, seja pelo valor a ser investido ou pelo valor da indutância que o projeto requer.

Atualmente existem medidores de indutâncias de boa precisão e de valor acessível, mas existem indutâncias que os medidores comuns não medem, obviamente que existem medidores que medem valores de indutância muito pequenos, só que nesse caso, o valor a ser investido nem sempre compensa.

A verdade é que indutores não são tão fáceis de serem medidos como é com um resistor utilizando um multímetro.

Nos casos de leitura direta não há problemas, mas quando precisa de alguma interpretação, aí o bicho pega, porque o curioso quer montar o circuito, mas estudar para entender o que vai fazer não é interessante para ele.

Os medidores comuns medem indutância acima de 1 uH, mas uma montagem em qualquer frequência acima dos 70 MHz vai precisar de indutores menores do que 1 uH, daí a justificativa da montagem do circuito que proponho.

Utilizo o método de circuito ressonante para medir a indutância faz anos, só que utilizava circuito transistorizado, há limitações, quando comecei a mexer com radiofrequência acima dos GHz, o circuito transistorizado deixou de ser uma ferramenta confiável.

Com o circuito que proponho é possível medir até 8 nH, para se ter uma ideia do que é um indutor de 8 nH, é 1 volta de fio 40 AWG com núcleo de ar de 5 mm, e esse indutor de 8 nH, em paralelo com um capacitor de 2 pF ressona em 1.25 GHz.

1 pF em paralelo com 8 nH ressona em 1.779 GHz, para ressonar em 7.1 GHz, é preciso um capacitor de 1 pF em paralelo com um indutor de 0.5 nH, mesmo que tivesse disponível um estoque de indutores de valores diferentes é bem possível que a montagem não seja concluída, obviamente que depende do conhecimento do interessado.

Parece confuso e difícil, mas na prática não é, é questão de se acostumar, o que eu quero dizer é que é um instrumento barato e muito útil no campo da radiofrequência, pois vai permitir saber a indutância de muitos tipos de indutores.

O funcionamento do circuito mostrado na imagem abaixo é simples, o elemento principal do circuito é um oscilador com o circuito integrado MC1648P, a configuração é de oscilador controlado por tensão.

Esquema eletrônico do testador de valores de indutâncias.

O oscilador gera um sinal de radiofrequência que é retirado através de C3 no pino 3 do circuito integrado, o indutor a ser medido é conectado diretamente, a leitura da frequência pode ser feita através de frequencímetro ou de analisador de espectro.

Para testar indutores, retire tudo que for metálico, ferroso ou magnético de perto, um metro longe do indutor em teste está bom, também não toque no circuito e nem permaneça muito perto do circuito, faça isso para evitar leituras falsas.

O diodo BB809 é do tipo varicap, VR1 divide a tensão, o trimpot (ou potenciômetro) pode ser ajustado para obter tensões diferentes e através de R2 aplicar em BB809, fazendo com que a capacitância seja alterada.

Marcando pontos definidos, podemos utilizar várias escalas e medir vários tipos de indutores, mas só o fato de saber que o circuito oscila e qual a frequência que oscila já justifica a montagem do circuito.

Para medir a indutância, basta conectar o indutor na posição de L1, ligar o frequêncimetro e observar a leitura, ou utilizar um analisador de espectro e ver na tela o sinal de radiofrequência que está sendo gerado.

Os testes foram feitos usando VR1 multivoltas, com trimpot comum é mais complicado fazer ajustes.

Cuidados em relação ao regulador de tensão 7805, ao diodo BB809, ao C6 e ao CI MC 1648P, que tem posição certa a ser observada.

Um indutor com 100 nH que servirá como base inicial e teste de funcionamento pode ser feito com 5 voltas de fio 30 AWG em forma de 7 mm, com núcleo de ar.

E aí você me perguntaria: em qual frequência posso verificar se o circuito está funcionando?

A respeita é simples: não sei, pois depende da posição onde se encontra o divisor de tensão (VR1).

É por isso que é preciso fazer marcações iniciais para medições futuras, mas adianto que com 100 nH e trimpot na metade do curso a frequência estará em torno dos 80 MHz.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *