Chocadeira Com 741, MOC e NTC


Uma chocadeira eletrônica pode ser apenas uma chocadeira eletrônica, ou de repente, outras funções podem ser executadas.

No circuito sugerido depende basicamente do sensor, foi sugerido um NTC, mas outros tipos de sensores como fototransistores podem detectar a luminosidade, mas a imaginação de cada um acaba sendo o limite.

No esquema mostrado abaixo a configuração é feita de forma que quando há um certo nível de calor o circuito eletrônico desliga a lâmpada, mas basta trocar R5 e o NTC de posição para que o efeito seja ao contrário.

Dependendo da resistência do NTC o resistor R5 pode ter que ser trocado, para saber qual o valor da nova resistência (se for o caso), basta medir a resistência do NTC em temperatura ambiente, e no lugar de R5 colocar um resistor que tenha o dobro da resistência do NTC em temperatura ambiente.

A função do circuito é funcionar como uma chocadeira eletrônica, onde o nível de calor é sentido pelo NTC que altera a sua resistência de acordo com a temperatura do local onde ele está alojado, ao sentir que o nível de calor a resistência do NTC se altera e consequentemente o nível de tensão no pino 2 do CI LM741 também se altera, alterando o nível de tensão no pino 6 do CI LM741.

Para evitar problema de choques, o circuito usa um CI foto acoplador MOC3041, que tendo sua porta polarizada passa a conduzir e assim a lâmpada acende gerando o calor desejado, nesse caso.

O ajuste do nível de calor para a lâmpada ser desligada é feito em VR1, para ajustes iniciais para comprovar o funcionamento basta movimentar a parte central do trimpot VR1 e a lâmpada irá acender e apagar.

Para a função de chocadeira eletrônica o NTC deve ser instalado dentro da caixa onde vai abrigar os ovos, porém, o sensor não deve ficar encostado nas paredes da caixa, no fundo e nem muito próximo dos ovos.

A instalação deve ser feita de forma que o NTC fique suspenso, bem próximo do fundo da caixa e no máximo a 5 centímetros dos ovos, assim, a temperatura interna da caixa será uniforme e fatores externos da caixa não irão interferir.

Não vou entrar em detalhes sobre detalhes da caixa, pois a caixa depende do tipo de ovos que é pretendido que sejam chocados.

O circuito projetado de forma que possa chocar vários tipos de ovos, por isso o ajuste em VR1 deve ser feito de acordo com o tipo de ovos, a saber, para codornas é uma temperatura, para calopsita é outra temperatura, para ovos de galinha é outra temperatura diferente.

Para codornas, por exemplo, a temperatura deve ser mantida entre 37 e 38 graus, e a umidade do ar, em torno de 70%, lembrando que ventilação é importante, pois o acúmulo de oxigênio pode provocar a morte dos filhotes, e mesmo assim, alguns ovos podem não descascar.

No caso de calopsitas, a temperatura ideal é de 36,6 ºC a 37,7 ºC, e a umidade deve ficar em mais ou menos 50% aumentando no dia do nascimento dos filhotes, a taxa e nascimento de calopsitas é de 50% devido a fragilidade dos filhotes que necessitam de cuidados intensos.

Para ajustar a temperatura desejada, é preciso colocar um medidor de temperatura dentro da caixa que vai virar chocadeira e ajustar VR1 de forma que a temperatura interna da caixa fique de acordo com a necessidade dos ovos que vão ser chocados.

A chocadeira deve ter furos de ventilação para que o oxigênio não fique dentro da caixa ter também uma vasilha com água para gerar umidade no ar, e os ovos devem ser virados diariamente.

Conseguí ajustar a temperatura de 32 ºC a 42 ºC graus com um termômetro desses de farmácia, mas quem é criador com certeza tem um termômetro mais apropriado para medir a temperatura, no olhometro ou no desconfiômetro não tem como ajustar.

Ao chegar na temperatura de ajuste, a lâmpada vai acender e apagar muitas vezes, pois quando acende gera calor e o sensor sente a nova temperatura e desliga a lâmpada, não há nada de errado, é assim mesmo.

Esse circuito foi projetado e testado usando uma lâmpada incandescente de 150 watts, mas qualquer tipo resistência de aquecimento funciona perfeitamente, caso não seja encontrada lâmpada incandescente, lembrando que a carga final deve gerar calor, lâmpadas de LEDs, por exemplo, não servem.

Ao contrário de muitos circuitos para a finalidade proposta, esse circuito é extremamente simples e qualquer pessoa pessoa com um mínimo de conhecimento em eletrônica pode executar a montagem.

São poucos componentes, os principais são o CI LM 741 e o CI MOC3041, o TIC226 e sensor de temperatura NTC, todos comuns no mercado brasileiro.

Resumindo como funciona: o circuito integrado LM 741 percebe a diferença de tensão entre os pinos 1 e 2 e na saída (pino 6) a tensão se altera de acordo com a temperatura, essa saída polariza o pino 2 do MOC3041, que é um acoplador óptico.

A saída do MOC3041 é na prática um DIAC controlado, que polariza a porta (gate) do TRIAC TIC226, que por sua vez, faz acender ou apagar a lâmpada de acordo com a temperatura do NTC e do ajuste em VR1.

Os resistores até aqui não citados, são de ? de watt, e um capacitor de 100 uF pode ser adicionado ao circuito mostrado, ligando do negativo ao positivo, se a fonte for bem filtrada nem precisa desse capacitor.

O layout da placa de circuito impresso pode ser vista na imagem abaixo (imprime de forma que a parte das trilhas fique com 27 milímetros por 55 milímetros) assim como o esquema eletrônico do circuito.

A alimentação do circuito é feita com uma fonte de 6 a 12 volts, são necessários apenas 70 miliampères de corrente, mesmo assim, para um trabalho de tanta responsabilidade, não se recomenda uma fonte sem transformador, melhor usar um carregador de baterias de celular.

Os fios vermelho e branco são ligados no NTC (sensor de calor).

Como fazer o ajuste de temperatura, veja neste vídeo.


Para receber notificações sobre atualizações no Website Ibytes e atualizações do Canal Ibytes no Youtube, entre no grupo clicando nesse link ( Telegram ).