Bloqueadores de Sinal WiFi


Quando se fala em bloqueadores de sinais de início já há um grande erro, talvez até proposital como meio de fazer marketing, mas na verdade não é bloqueado nenhum sinal na sua origem, ou seja, ninguém vai debaixo da torre bloquear sinal que está sendo transmitido.

O que é feito de fato para dizer que um sinal é bloqueado é impedir que a estação receptora, ou as estações receptoras não recebam o sinal da estação emissora.

Para impedir que a estação receptora capte e decodifique os sinais emitidos é preciso receber uma transmissão limpa, sem ruídos e acima de tudo, com uma portadora de frequência fixa.

Como as transmissões da faixa dos 2.4 GHz são bilaterais, é preciso que a estação receba e decodifique imediatamente o sinal e envie envie um sinal informando que os dados foram recebidos e assim novos dados podem ser enviados.

Se alguma coisa der errado, haverá algumas tentativas de releitura e reenvio, dependendo dos recursos do hardware, a potência de transmissão pode ser aumentada automaticamente a cada nova tentativa de envio até que tenha chegado ao máximo previsto.

Quando a comunicação bilateral não puder ser estabelecida, haverá a negação de serviço, ou melhor dizendo, não haverá alcance entre as estações, no velho jargão popular: não pega.

Normalmente, existe uma lógica que determina o alcance, essa lógica é baseada em potência de emissão, estabilidade da frequência e na qualidade de antena do conjunto transmissor.

Dentro da lógica que determina o alcance entre as estações estão também a sensibilidade do receptor e a sua capacidade em separar os dados úteis e ignorar as impurezas.

É óbvio que em se tratando de transmissões através da radiofrequência o que se deseja é o máximo alcance, com o máximo de qualidade.

Mas, também existem situações em que mesmo sendo um sinal forte, estável, ele se torna inoportuno ao ponto de ter a vontade de impedir, é aí que surge o bloqueador de sinal de radiofrequência, ou simplesmente embaralhador de sinal, que é a descrição correta.

Cada embaralhador de sinal é projetado para impedir que a estação receptora receba os sinais, por isso, o que serve para uma banda de frequências não serve para outra banda e vice-versa.

Para alcançar o objetivo é preciso saber pelo menos dois detalhes técnicos, são eles: a frequência, ou a largura da faixa de frequências, e a potência que a transmissão chega no aparelho receptor, ou seja, quantos milivolts (em RF) chegam da estação transmissora na antena da estação receptora.

O embaralhador de sinais deverá gerar sinais de radiofrequência na frequência a ser embaralhada e com potência suficiente para cobrir o sinal que chega da estação transmissora.

A construção chega a ser simples depois que os dados necessários estiverem disponíveis, mas o ajuste pode ser tornar impossível se não houver instrumentos de medição adequados.

O assunto é extenso, por isso, se o assunto lhe interessa, procure por outros links que tratam do mesmo tema, aqui mesmo no Ibytes.


Para receber notificações sobre atualizações no Website Ibytes e atualizações do Canal Ibytes no Youtube, entre no grupo clicando nesse link ( Telegram ).