As ROMs Programáveis


Para aplicações mais modestas em termos de quantidades de chips a ser produzidos, a indústria desenvolveu as PROMs a fusível, programáveis pelo usuário, isto é, elas não são programadas durante o processo de fabricação, e sim pelo usuário de acordo com suas necessidades, mas, uma vez programada, a PROM torna-se uma MROM, ou seja, não pode ser apagada e novamente programada.

O processo de programação de uma PROM com a conseqüente verificação dos dados gravados pode ser muito tedioso e demorado, se for realizado manualmente.

Existe no mercado um sem-número de dispositivos programadores de PROMs que permitem a entrada da programação por teclado, para então realizar a queima dos fusíveis e verificação dos dados gravados, sem a intervenção do usuário.