A Verdade Sobre Jammers

Jammer é o nome em inglês dado ao equipamento cuja função é em teoria bloquear o sinal de celular.

Em primeiro lugar, bloquear o sinal de celular é um termo totalmente errado, afinal, para bloquear realmente o sinal de celular, o sujeito teria que ir embaixo de torre é de lá emitir um sinal mais forte que a estação rádio base (ERB), e esse sinal teria que corresponder a exata frequência de operação da estação fixa.

A função real do tal bloqueador de sinal de sinal é impedir que o sinal seja recebido pelo aparelho telefônico, então a descrição real deveria ser embaralhador de sinal de celular, exatamente como tenho defendido desde que elaborei alguns projetos com essa finalidade.

O finalidade do tal jammer é impedir que o celular se comunique com a estação rádio base, se ele não “escutar o chamado da torre” ele não vai enviar nenhum pedido de conexão, nesse sentido, a coisa é fácil de ser entendida.

Como impedir a solicitação de conexão é outra conversa e não é nada simples, pois o sistema de telefonia é extremamente complexo e cheio de mentiras divulgadas pela Anatel e pelas operadoras de telefonia, me refiro principalmente aos detalhes das frequências que são ocupadas pelas operadoras.

Com a utilização de equipamentos, que por sinal, não são nada baratos, percebe-se os motivos pelos quais o usuário final tem tantos problemas em determinadas regiões, as informações erradas impedem a construção de antenas apropriadas e a compra de equipamentos adequados.

O que posso divulgar é que quando uma frequência de conexão está ocupada ou impedida por algum outro motivo, o próprio celular procura por outra frequência, se essa nova frequência também estiver ocupada e impedida, uma nova frequência é procurada.

A procura acontece até que exista a possibilidade de conexão ou uma desistência do sistema, e a desistência só acontece quando todas as frequências permitidas foram percorridas e não foi possível fazer a conexão.

O sistema GSM em geral opera em duas bandas, vamos fazer de conta que seja na banda de 850 MHZ e na banda de 1800 MHz, o sistema vai percorrer todos os canais da banda de 850 MHz e se não puder conectar passa a percorrer a banda dos 1800 MHz.

Todo o processo leva em torno de 20 segundos em cada banda, e caso necessário, o sistema percorre as duas bandas, e se não puder manter contato com a estação rádio base (ERB) o celular vai apresentar a mensagem que está sem sinal, no caso, sem sinal com a tecnologia GSM.

O mesmo acontece em relação a tecnologia GPRS, a procura também acontece em relação a tecnologia 3G (WCDMA) e nas bandas de frequências disponíveis e autorizadas para o uso da operadora de telefonia celular.
O 4G também faz a varredura de frequências, embora a banda para fazer a varredura seja mais estreita e geralmente em só uma banda.

O LTE faz a varredura de frequências, a banda para fazer a varredura é mais estreita e pode ser em duas bandas.

Quando o sistema percorre as bandas e frequências livres para receber ou fazer uma ligação, o processo de varredura é feito incluindo todas as tecnologias que o celular dispõe, a varredura é feita simultaneamente e começando pela frequência e na banda onde o sinal é melhor, o processo completo leva em torno de 45 segundos.

Se a varredura for feita, e se o sinal da ERB chegar ao celular mas a o sinal do celular não chegar na ERB, o celular aumenta a potência de transmissão para compensar problemas de sinal e tentar se comunicar com a ERB, se ainda assim não conseguir a comunicação entre a unidade móvel e a unidade fixa, uma mensagem ou notificação de “sem sinal” é apresentada no celular.

Para quem duvida, fica uma evidência incontestável que ao ser analisada deixa claro que o aumento da potência existe para possibilitar o contato, não existe evidência mais clara do que a de que a bateria acaba mais rápido quando a gente está em locais onde o sinal é mais fraco.

E se for possível a conexão entre a ERB e a estação móvel, no caso o celular, a conexão é feita na tecnologia disponível, não importa se LTE, 4G, 3G, GSM ou GPRS, no caso do acesso à internet a tecnologia importa devido a velocidade de trânsito dos dados, quando se tratar de voz, a tecnologia não tem tanta importância.

Então, acho que está claro que construir um jammer não é tão simples como existem publicações que afirmam que o bloqueio do sinal é coisa simples e acessível, é óbvio que é possível, será preciso saber sobre uma série de detalhes que serão necessários equipamentos, e a partir dessas informações gerar os circuitos eletrônicos específicos para cada banda e para cada faixa de frequências.

Não é com um circuitinho copiado da internet que vai bloquear o celular, e pior, se esse circuito foi projetado para a tecnologia CDMA e espalham aos quatro ventos que o mesmo se aplica nas várias tecnologias atuais e nas várias bandas de frequências, e ainda somadas as modificações feitas nos circuitos por quem modifica circuitos com a finalidade de obter um suposto status.

Obviamente que a curiosidade sobre os detalhes surgiu não é? Como os “detalhes” o que sei para montar meus equipamentos, só vai saber quem adquirir algum equipamento.


Para receber notificações sobre atualizações no Website Ibytes e atualizações do Canal Ibytes no Youtube, entre no grupo clicando nesse link ( Telegram ).