Pioneiro da Transmissão

O padre Landell de Moura foi um pioneiro na transmissão da voz, ele utilizava equipamentos de rádio que eram montados por ele mesmo e patenteados no Brasil em 1901, e em 1904 os mesmos equipamentos também foram patenteados nos Estados Unidos.

Landell transmitiu a voz humana por meio de duas formas, o primeira forma era um transmissor de ondas que utilizava um microfone eletromecânico que captava as ondas sonoras por meio de uma câmara de ressonância, a câmara tinha uma parte que movimentava um diafragma metálico, que por sua vez, abria e fechava o circuito do primário de uma bobina, e a bobina induzia no secundário dessa bobina uma alta tensão que era irradiada ou através de uma antena ou de duas bolinhas centelhadoras.

Com o passar do tempo, os dispositivos com a finalidade de detectar os sinais foram sendo melhorados até ao que vemos atualmente.

A segunda forma utilizada pro Landel foi através de um aparelho de telefone sem fio que utilizava a luz como uma onda portadora da informação de áudio.

No telefone sem fio as variações das movimentações acústicas da voz do locutor eram transformadas em variações de intensidade de luz de acordo com a onda da voz, e eram captadas por uma superfície parabólica espelhada, na superfície parabólica existia uma resistência (em ohms) que tinha seu valor alterado de acordo com as variações da intensidade de luz.

No circuito de detecção havia só o dispositivo fotossensível, uma chave, um par de fones de ouvido e uma bateria.
E mais uma invenção foi atribuída a Landel, que por utilizar a luz como meio de transporte de informação, Landell é considerado um dos precursores das fibras ópticas.

O Padre Landell fez estudos e experiências a partir de 1892 em Mogi das Cruzes, e, em 1893, em Campinas e em São Paulo onde fez uma demonstração pública de seu invento no dia 3 de junho de 1900 , invento que foi alvo de matéria no Jornal do Commercio de 10 de junho de 1900, (O Jornal do Commercio é um importante jornal econômico brasileiro e o mais antigo diário em circulação ininterrupta na América Latina até os dias atuas), o texto da notícia era o seguinte:

No domingo próximo passado, no alto de Santana, na cidade de São Paulo, o padre Landell de Moura fez uma experiência particular com vários aparelhos de sua invenção.

No intuito de demonstrar algumas leis por ele descobertas no estudo da propagação do som, da luz e da eletricidade através do espaço, as quais foram coroadas de brilhante êxito.

Assistiram a esta prova, entre outras pessoas, Percy Charles Parmenter Lupton, representante do governo britânico, e sua família.

Em 1903, Artur Dias, em seu livro “Brasil Atual” fez referência a Landell de Moura, descrevendo, entre outras coisas, o seguinte:

logo que chegou a S. Paulo, em 1893, começou a fazer experiências preliminares, no intuito de conseguir o seu intento de transmitir a voz humana a uma distância de 8, 10 ou 12 km, sem necessidade de fios metálicos.

Após alguns meses de trabalho árduo, obteve excelentes resultados com um dos aparelhos construídos.

O telefone sem fios é reputado como a mais importante das descobertas do Padre Landell, e as diversas experiências por ele realizadas na presença do vice-cônsul inglês de S. Paulo, Sr. Percy Charles Parmenter Lupton, e de outras pessoas de elevada posição social da época, foram tão brilhantes que o Dr. Rodrigues Botet, ao dar notícias desses ensaios, disse não estar longe o momento da sagração do Padre Landell como autor de descobertas maravilhosas.

O padre Landell de Moura nasceu na cidade de Porto Alegre (RS) em 1861.

Realizou seus estudos iniciais em Porto Alegre e São Leopoldo, antes de seguir para a Escola Politécnica do Rio de Janeiro.

Junto com seu irmão Guilherme, foi para Roma, e matriculou-se em 22 de março de 1878 no Colégio Pio Americano e na Universidade Gregoriana.

Completou sua formação eclesiástica em Roma, formando-se em Teologia e foi ordenado sacerdote em 1886.

Quando voltou ao Brasil, substituía por muitas vezes o coadjutor do capelão do Paço Imperial, no Rio, onde manteve diálogos científicos com D. Pedro II, depois disso, serviu em uma série de cidades do interior de São Paulo.

Em Roma iniciou seus estudos de física e eletricidade, no Brasil, como autodidata continuou seus estudos, pois estava em São Paulo que era na época um dos grandes centros de pesquisa do mundo.

O Exército Brasileiro em homenagem ao insígne cientista gaúcho, concedeu em 2005 a denominação histórica de “Centro de Telemática Landell de Moura” ao 1° Centro de Telemática de Área, organização militar de telecomunicações situada na cidade de Porto Alegre.

Meu comentário particular é que o padre Landell de Moura foi mais um cientista ignorado na sua terra natal, aliás, assim como Alberto Santos Dumont, o padre Landell de Moura também não teve o merecido reconhecimento, como a maioria dos cientistas e inventores, se atribuí a invenção do rádio a Marconi, e a discussão continua, mas o padre Landell de Moura contribuiu em muito, quer queiram, quer não queiram.

Postagens relacionadas
  • Direcional Para 5.8 GHz
  • Teste de Módulos de RF
  • Módulos de RF 433 MHz
  • Celular Nos Confins
  • Bloqueadores de RF
  • As Ondas de Rádio
  • Posts mais acessados
  • Teste de Bateria (14748)
  • Antena Para Celular (12193)
  • Amplicador 60 W RMS (9685)
  • Os Gatos & Dúvidas (8262)
  • Ganhar na Loto Fácil? (5873)
  • Utilize a busca para encontrar o tema de seu interesse.
    Pense no meio ambiente antes de este link.   Dúvidas? Acesse o Fórum