Antenas Fora do Padrão

Do tamanho da onda depende o tamanho dos elementos de uma antena e também a distância entre os elementos, dependendo do tipo de antena que será “cortada”, ocorre que por mais que seja dito que os tamanhos das ondas eletromagnéticas determinam os tamanhos das antenas e a disposição dos elementos da mesma antena.

Dependendo da frequência, a antena pode ficar grande o suficiente para causar incômodos ou até transtornos, imagine você morando num apartamento e no apartamento ao lado um traficante, pela sua antena ele pode pensar mil coisas, e pelo desconhecimento pode até pensar que você tem condições de chamar a polícia usando seu rádio.

Mas existem outros motivos menos graves para um pedaço de alumínio não parecer que é uma antena, mas o tamanho de uma onda eletromagnética muda apenas em função da frequência, e uma onda é um ciclo completo de uma senoide.

Uma antena pode ser cortada para uma determinada frequência e mesmo assim te tamanhos diferentes, isso depende da escolha do tipo de antena, do ganho desejado, e é claro, do local onde vai ficar a antena.

Abaixo é mostrada uma figura representando o segundo tipo mais comum de antena, já que o tipo mais comum é a dipolo aberto, onde dois elementos ficam esticados na posição horizontal, na figura a baixo o formato é de antena “L”, muito popular entre os rádio operadores da faixa do cidadão (PX), por ser de fácil construção e os materiais fáceis de encontrar e baratos.

Na imagem acima mostra a possibilidade de quatro tamanhos para a mesma frequência, vamos aos exemplos para a frequência de rádio amador na faixa dos dois metros, o tamanho da onda é obtido dividindo a velocidade das ondas de rádio no vácuo pela frequência, então temos: 300/144=2,08, arredondando para 2 metros.

Para uma antena “L” de onda completa a fórmula é: 300/144=2,08, são dois elementos de 2 metros e oito centímetros.

Para uma antena “L” de meia onda a fórmula é: (300 / 144) / 2 = 1,04, são dois elementos de 1 metro e 4 centímetros.

Para uma antena “L” de ¼ de onda a fórmula é : (300 / 144) / 4 = 52, são dois elementos de 52 centímetros.

Para uma antena “L” de ¾ de onda a fórmula é : (300 / 144) / 3 = 69, são dois elementos de 69 centímetros, e assim por diante para qualquer tipo de antena.

Observe com atenção as diferenças enormes nos tamanhos dos elementos, consequentemente os ganhos serão muito diferentes também, o que existe de concreto é que os tamanhos dos elementos calculados faz com que as ondas estacionárias sejam baixas.

Sou totalmente a favor das medidas exatas, mas caso não exista essa possibilidade, apenas o elemento “vivo” da antena deve ficar na posição vertical, os elementos parasitas chamados de “plano de terra” sendo eliminados do projeto, haverá a necessidade de alteração do tamanho do “elemento vivo”, isso é fácil de ser feito.

Com um medidor de ondas estacionárias em mãos, e dois pedaços de tubos de alumínio ou de cobre, de forma que um deles se encaixe dentro do outro, é só ir medindo a reflexão das ondas até encontrar o valor mais baixo possível, fazer um furo nos elementos e fixá-los na posição onde as ondas refletidas são menores.

Assim a saída de rádio frequência fica protegida e obtêm-se ganho de transmissão ou recepção razoável, além disso, um pedaço de alumínio ou de cobre na posição horizontal não chama a atenção como sendo uma antena, com a “técnica” de fabricar uma antena telescópica de apenas um elemento não será preciso utilizar “acoplador de antena” ou como dizem alguns, “sintonizador de antena”.

Postagens relacionadas
  • Direcional Para 5.8 GHz
  • Teste de Módulos de RF
  • Módulos de RF 433 MHz
  • Celular Nos Confins
  • Bloqueadores de RF
  • As Ondas de Rádio
  • Posts mais acessados
  • Teste de Bateria (13987)
  • Antena Para Celular (11623)
  • Amplicador 60 W RMS (9319)
  • Os Gatos & Dúvidas (7887)
  • Ganhar na Loto Fácil? (5627)
  • Utilize a busca para encontrar o tema de seu interesse.
    Pense no meio ambiente antes de este link.   Dúvidas? Acesse o Fórum