Mini Estação de TV

Transmissores de áudio sempre chamam a atenção dos viciados em eletrônica, mas transmissores de vídeo são um pouco mais complexos.

Geralmente tem uma série de regulagens em bobinas e utilizam componentes de difícil obtenção, foi pensando nisso que este projeto foi elaborado, é uma idéia para ser usada em uma tv comunitária, sempre lembrando que é proibida a transmissão para mais de 40 metros sem autorização da ANATEL, por isso, este projeto tem como objetivo a questão didática.

O projeto é descrito de forma a ser utilizado para fins de aprendizado, e jamais para outras finalidades, o autor, desde já avisa que não tem e não assumirá qualquer responsabilidade por má utilização ou por utilização indevida do projeto.
A idéia deste transmissor é processar sinais de áudio tendo como origem uma mesa de som ou microfone, e sinais de vídeo originários de uma câmara, ou ainda os sinais de áudio e vídeo de um videocassete, transmitindo num canal livre da faixa de VHF.

Os sinais de RF podem ser irradiados com uma antena comum e captados numa distancia de até uns 500 metros (embora a permissão para experiências seja de 40 metros) que é o mais adequado para áreas urbanas, lembrando que é necessário ter muito cuidado para não interferir em freqüências onde emissoras comerciais ou comutarias estejam transmitindo, assim como nas freqüências dos serviços de emergência.

Dependendo das condições locais, do posicionamento da antena, e alimentado com tensões de 12 Volts estabilizados, o circuito tem muito bom desempenho tanto na emissão de sinais em preto e branco como sinais em cores.

O ponto mais importante deste projeto é a facilidade com que ele pode ser montado e ajustado, já que são usadas apenas duas bobinas que serão confeccionadas pelo próprio interessado e os demais componentes são todos de fácil obtenção.

O coração deste transmissor é o circuito integrado LM1889 da National, que consiste num Modulador de Vídeo para TV em um invólucro de 18 pinos DIL.

Este circuito integrado é usado em videocassetes e videogames, justamente na função de processar a informação de imagem e de som, de modo que elas possam ser jogadas num canal livre da faixa de VHF.

Como se trata de componente que é utilizado em equipamentos comerciais, além da confiabilidade existe facilidade de obtenção.

Quem for daquele hobysta sucateiro poderá encontrar este componente funcionando numa sucata de videogame ou de vídeo-K7 e aproveitá-lo para montar sua estação de TV comunitária, mas isso não impede que seja comprado um novinho em folha em lojas especializadas em produtos de eletrônica, e lembre-se, cuidado ao soldar os terminais do CI, eu sugiro que seja usado um soquete para CI, e depois de tudo montado, conferido, e reconferido, seja encaixado o CI no soquete.

O soquete para o CI deve ser o DIL de 18 pinos para encaixar o CI somente depois de feitas as soldagens, devido a sensibilidade do CI.

O circuito integrado LM1889 contém todas as etapas necessárias para o processamento dos sinais de vídeo e áudio de um transmissor de sinais de TV.

A bobina L1 com o capacitor em paralelo gera um sinal de 4,5 MHz que modulado com o som, deve ficar separado da portadora de vídeo desta freqüência.

O ajuste que deve ser feito nesta bobina é simplesmente em leva-la a 4,5 MHz, de maneira a obtermos som.

A modulação de áudio é feita por um diodo varicap de forma muito simples, a intensidade do sinal de áudio obtida na maioria das saídas da mesa de som deve proporcionar uma boa reprodução.

O sinal de vídeo que é obtido da saída de vídeo composto de qualquer câmera ou de um video K7 é aplicado no pino 13 do circuito integrado depois de passar por uma etapa de amplificação com dois transistores.

Este sinal vai modular em amplitude a portadora de vídeo, cuja freqüência é determinada por L2 e o capacitor em paralelo.

Devemos ajustar a freqüência deste oscilador para o canal livre da faixa de VHF, normalmente um canal baixo em que a emissora vai operar, interessante observar que o canal deve estar livre, isso evita interferências, e por não existir outra emissora ocupando a mesma freqüência, o rendimento será melhor, isto é, os sinais poderão ser captados mais longe.

A saída de RF é retirada no pino 11 e levada a uma etapa amplificadora com um transistor e deste para a antena externa ou uma antena telescópica, caso a transmissão seja para pequeno alcance.

Observe que na modulação de áudio deste circuito, o sinal gera duas sub-portadoras sendo uma 4,5 MHz acima da freqüência do canal e outra 4,5 MHz abaixo.

Como uma delas não é eliminada, ela pode causar interferências no canal adjacente, por isso volto a recomendar que o interessado em montar um projeto desse tipo deve escolher um canal livre na sua localidade, e que também não tenha canais adjacentes operando.

A alimentação do circuito pode ser feita com tensão de 12 Volts, para evitar problemas de ruídos na transmissão, sugiro o uso de bateria de moto, se for utilizada fonte, esta deve ter pelo menos 1A e muito boa filtragem e regulagem.

Uma filtragem deficiente neste tipo de circuito irá provocar roncos no som e ondulações na imagem, caso existam roncos no som e ondulações na imagem, o problema é o riple de 60 hz emitido pela fonte, por isso, a segustão de que seja usada uma bateria de 12 volts.

Na figura abaixo é mostrado o diagrama completo do transmissor de TV sem a fonte de alimentação.

Os resistores recomendados na lista de material são resistores de 1/8W ou maiores, e se preferir utilizar uma fonte de alimentação, pode ser de 12V x 1A, mas conforme já citado, sugiro uma bateria de 12 volts, é claro que será necessário recarregá-la, então use uma fonte bem filtrada, pois mesmo utilizando bateria como alimentação, se for colocada uma fonte com ruídos, certamente terá problemas de ruídos na transmissão.

As bobinas são os elementos mais críticos de todo projeto que envolve rádio freqüência, e não poderia ser diferente para esse projeto.

L1 é formada por 40 espiras de fio esmaltado fino, pode ser o fio 30 AWG enrolado numa forma de ½ centímetro de diâmetro e 2 centímetros de altura, com núcleo de ferrite ajustável, note que a forma para esta bobina pode ser obtida em velhos rádios e/ou televisores.

A bobina L2 é a que determina a freqüência do canal, e pode ter de 2 a 6 espiras de fio 18 AWG, em forma semelhante a usada para L1.


Para a bobina 2 (L2) com 2 ou 3 espiras a operação será nos canais altos de VHF, portanto, entre o canal 7 e o canal 13, e para 4 a 6 espiras a operação vai ficar entre o canal 2 e o canal 6, que os canais melhores de trabalhar devido a frequência ser mais baixa.

Sempre lembrando que trabalhar em circuitos de rádio freqüência é muito interessante, mas qualquer abertura a mais ou a menos nas bobinas que determinam a freqüência de funcionamento pode levar a não sintonia do que está sendo transmitido, e terá a falsa idéia de que o circuito não funciona, o que nem sempre é verdadeiro, pois está funcionando mas o receptor não consegue sintonizar.

Eu tenho sempre próximo um rádio de banda corrida, que sintoniza tudo, assim, no caso de dúvidas é só ligar ele e fazer uma busca por novas estações.

Então, muito cuidado nas montagens em circuitos de rádio freqüência, em especial, quando se trabalha com circuito que operam em VHF e UHF.

Para a entrada de áudio e vídeo é de suma importância que sejam usados fios blindados e conectores apropriados, eu sugiro os tipo RCA, por uma questão de padronização.

Para a antena deve ser usado um conector para cabo de 75 Ohms, e o setor de transmissão em nenhuma hipótese deve ficar na mesma caixa que estiver a fonte, se esta for utilizada.

A caixa onde será instalado o transmissor deve ser blindada para maior estabilidade de funcionamento e para evitar que sejam captados ruídos que afetem a transmissão.

O trimpot P1 tem a finalidade ajustar a componente DC do sinal de vídeo, que é importante para que seja obtido o máximo rendimento na transmissão.

Depois de tudo montado conforme o esquema, será preciso testar e ajustar o transmissor, então ligue nas entradas, as saídas de áudio e vídeo de um videocassete com uma fita de boa qualidade, se dispor de um DVD é melhor ainda.
Lembre-se, use cabos apropriados para as conexões entre a fonte de sinal e o aparelho recém montado.

Verificou, conferiu, e conferiu novamente as ligações?
Se não fez isso ainda, então faça, depois de tudo conferido, ligue o transmissor e nas proximidades, um televisor com antena interna e sintonize no canal em que pretende fazer a transmissão.

A antena do transmissor pode ser um pedaço de uns 15 centímetros de fio comum encapado.

Para começar, ajuste a bobina L1 de maneira que o sinal de máxima intensidade de imagem seja captado.

Não captou nada?
Pegue o controle da TV e coloque para fazer a sintonia automática dos canais, se não conseguir captar nada é porque a sua montagem tem algum problema de solda fria, componente trocado de lugar, etc, etc.

Captou o sinal?
Ótimo, então ajuste o trimpot de modo a sintonizar a melhor imagem.
Depois, ajuste bam devagar a bobina L2 até obter o sinal de som.
Obtendo o sinal de som, retoque a sintonia de L1 para obter a máxima transmissão.

Se tiver dificuldades em obter a sintonia no canal desejado, altere o valor de C7 ou o numero de espiras de L1.
Se tiver dificuldades em sintonizar o som, altere C6 ou então o número de espiras de L2.

Comprovado o funcionamento, faça a ligação da antena em definitivo, se escolheu antena externa ou antena interna e refaça os ajustes de modo a obter a melhor qualidade de transmissão.

Depois disso, é só operar a estação, mas não fique bobo e saia espalhando para todo mundo, os rádio amadores gostam de ter suas freqüências livres e qualquer transmissão ilegal eles tem um dedo que parece de ferro fundido, eu disse fundido, se pegarem a sua transmissão eles vão dedurar para a dona ANATEL, por isso, é melhor transmitir de forma anônima.

Os componentes a serem utilizado nesse projeto são todos de fácil obtenção.
Semicondutores:
Cl-1 – LM1889 – Circuito Integrado.
Q1, Q2, Q4 – BC547 ou equivalente – Transistor NPN de uso geral.
Q3 – BD135 ou equivalente – transistor NPN de media potência.
D1 – BB809 ou equivalente – Diodo varicap.
Os resistores são todos de 1/8 de watt exceto o R 18.
R1, R15 – 82 Ohms
R2 – 120 K Ohms
R3 – 27 K Ohms
R4 – 1,2 K Ohms
R5, R13, R14 – 270 Ohms
R6 – 470 Ohms
R7 – 56k Ohms
R8 – 68k Ohms
R9 – 220 K Ohms
R10 – 2,7 K Ohms
R11, R17 – 1 K Ohms
R12, R16, R19 – 10 K Ohms
R18 – 47 Ohms x 1W
R20 – 22 K Ohms
P1 – 10 K Ohms – trimpot
Capacitores:
C1 – 4,7 uF/1 6V – eletrolítico
C2, C3 – 10 uF/1 6V – eletrolítico
C4, C8 – 1 nF – disco cerâmico
C5 – 120 pF – disco cerâmico
C6 – 47 pF – disco cerâmico
C7 – 56 pF ou 47 pF – disco cerâmico
Diversos:
Choque de 100 uH
L1, L2 – Bobinas – ver texto acima
Placa de circuito impresso, conectores de entrada e saída de sinais, caixa metálica para abrigar a montagem, fonte de alimentação ou bateria, formas para as bobinas, fios esmaltados, fios blindados, solda, etc.

Postagens relacionadas
  • Faróis Apagados?
  • Proteja Portas e Janelas
  • Fazer Bengala Eletrônica
  • Lâmpada de Corredor ou Escada
  • Sem Pânico Para Idosos (P2)
  • Sem Pânico Para Idosos (P1)
  • Posts mais acessados
  • Teste de Bateria (13987)
  • Antena Para Celular (11623)
  • Amplicador 60 W RMS (9319)
  • Os Gatos & Dúvidas (7887)
  • Ganhar na Loto Fácil? (5627)
  • Utilize a busca para encontrar o tema de seu interesse.
    Pense no meio ambiente antes de este link.   Dúvidas? Acesse o Fórum