Vídeo Link p/ Segurança

Existem muitas montagens que são de utilidade para o amante da eletrônica, mas sem dúvida, as montagens que envolvem a rádio transmissão além de envolver a técnica de manusear coisas “sobre naturais” são as que mais despertam interesses, transmitir áudio para outros rádios de freqüência modulada é muito gratificante, e transmitir vídeo então nem se fala.

Claro que montagens de pequena potência podem ser feitas sem esbarrar na legislação vigente no Brasil, mesmo que todos queiram a todo custo mais e mais potência, o objetivo é sempre transmitir o distante possível, mas nem sempre com muita potência o alcance esperado é conseguido, existem muitos detalhes em montagens que envolvem transmissão de sinais através das ondas eletromagnéticas, mesmo assim, não existem barreiras que não possam ser quebradas com a finalidade de montar um de transmissor de vídeo de baixa potência.

A montagem proposta neste texto é a de um vídeo link que pode transmitir o sinal de vídeo composto gerado por uma câmera de segurança para qualquer TV da casa ou num raio de aproximadamente 200 metros com a finalidade de monitorar a entrada do seu prédio ou qualquer ambiente, quem sabe até seu escritório ou a área de serviços, já que existe aquela dificuldade em cortar paredes para passar fios.

É um dispositivo de segurança muito fácil de usar, pois é só conectar a ele uma câmera de vídeo, e o vídeo link pode ser usado na vigilância para monitorar um ambiente ou uma grande área.

O principal problema para possuir um vídeo link, é que as unidades comerciais são muito caras, mas você mesmo pode construir a sua própria ou unidade ou até muitas unidades, pois o circuito aqui mostrado é muito fácil de montar e são apresentadas informações suficientes para montar um vídeo link.

Os ajustes do vídeo link não necessitam de equipamentos especiais, são procedimentos simples, mas requerem que o montador tenha pelo menos um conhecimento básico no manuseio de equipamentos de rádio freqüência.

A saída do vídeo link pode ser sintonizada para transmitir para qualquer canal de TV do canal 2 (54 MHz) até o canal 6 (88 MHz), pois a largura de canais é suficiente para que a unidade não interfira nos canais de TV próximos.

Para cumprir as leis, é obrigatório que os canais de TV próximos não sejam “perturbados” pela transmissão, no caso do “seu vídeo link” gerar interferência na recepção de uma estação licenciada, não importa qual seja a razão, você deve desligar a sua unidade.

Abaixo é mostrado o diagrama esquemático do circuito vídeo link, note que a entrada de sinais de vídeo será pelo ponto mostrado na figura como entrada de vídeo, é coisa óbvia, mas é preciso citar.

Observe no esquema que a entrada tem a impedância corrigida por um resistor de 75 ohms e acoplado através de um capacitor eletrolítico de 100 uF para um diodo de grampeamento, que por sua vez força os pulsos de sincronismo para um nível DC fixo, esse procedimento é para reduzir os efeitos florescentes no sinal de vídeo, que se existirem, serão mostrados na tela.

O potenciômetro P1 deve ser ajustado para definir o ganho do sinal de vídeo, esta função é parecida com o controle de contraste que existe nos aparelhos de TV, e o potenciômetro P2 deve ser usado para ajustar o nível de preto da imagem, assim, qualquer que seja o nível de sinal de entrada, alguma coisa será transmitida, mesmo que seja uma imagem totalmente escura, dessa maneira, o receptor de TV pode manter correto o sincronismo, enfim, os potenciômetros P1 e P2 devem ser ajustados para melhor performance.

O transistor BC 548 modula em amplitude o sinal de vídeo, a freqüência de operação é ajustada em L4, que é “caseira” e é feita dando 4 voltas de fio esmaltado 22 AWG numa forma com diâmetro de 6 milímetros e que tenha um núcleo de ferrite.
A bobina L4 faz parte de um circuito tanque Colpitts que também tem dois capacitores de 27 pF, o circuito tanque é formado no transistor 2N2222 que tem uma cadeia de realimentação, o objetivo é o transistor 2N2222 fique oscilando numa freqüência fixa.

A saída de rádio freqüência da seção osciladora é amplificada por dois transistores 2N2219 ligados em paralelo, cuja tensão de alimentação vem seção moduladora formada por um transistor BC548 e um transistor BD135 e L1, lembro L1 pode ser confeccionada manualmente com 8 voltas de fio esmaltado com diâmetro 22 AWG numa forma de 6 mm com núcleo de ar.
O filtro passa faixas que está na saída de antena é formado por dois trimmer que possam ajustar de 5 a 70 pF, com ajustes precisos se obtem maior alcance da transmissão e menos interferência, L2 é de .15 uH (15 micro Henry), e na falta dessa bobina, pode ser feita manualmente com 6 voltas de fio esmaltado 22 AWG numa forma de 6 mm com núcleo de ar, o resistor de 75 ohms na saída foi colocado para ajudar a deixar o sinal de saída com impedância para qualquer tipo de antena.

Bem, a antena nesse circuito assim como em qualquer circuito de RF tem importância fundamental, com uma antena telescopia o alcance é de mais ou menos 200 metros, com uma antena apropriada pode chegar a 1 Km, mas isso depende de vários fatores, os demais componentes acredito que dispensam maiores comentários.

Atenção: O autor não se responsabiliza pela ilegalidade de construção e uso do vídeo link que está descrito neste texto.
A montagem e o uso do transmissor descrito neste artigo viola leis federais, fica a indicação para obter informações adicionais na ANATEL.

Postagens relacionadas
  • Faróis Apagados?
  • Proteja Portas e Janelas
  • Fazer Bengala Eletrônica
  • Lâmpada de Corredor ou Escada
  • Sem Pânico Para Idosos (P2)
  • Sem Pânico Para Idosos (P1)
  • Posts mais acessados
  • Teste de Bateria (14747)
  • Antena Para Celular (12189)
  • Amplicador 60 W RMS (9684)
  • Os Gatos & Dúvidas (8260)
  • Ganhar na Loto Fácil? (5872)
  • Utilize a busca para encontrar o tema de seu interesse.
    Pense no meio ambiente antes de este link.   Dúvidas? Acesse o Fórum