Como Medir Capacitância

Atualmente os multímetros digitais estão vindo cada dia mais sofisticados, claro, isso já faz um certo tempo, mas tempos atrás os preços eram absurdos, atualmente a diferença entre os valores dos multímetros não é mais assustadora e permite que leigos adquiram multímetros com a função para medir capacitância.

Claro que isso é bom, mas não se resolvem coisas colocando uma Ferrari na mão de quem só sabe dirigir “dekavê”, por isso amigos que vendem multímetros reclamam da alta taxa de pedidos de troca por estarem supostamente com defeito.

Numa dessas conversas surgiu o assunto e chegamos a conclusão que não são os multímetros com a função de medir capacitância com defeito, fazendo perguntas para usuários que desejavam trocar as recentes aquisições chegou-se a conclusão que eles mesmos danificam seus aparelhos antes de aprender a utilizá-los corretamente.

Então resolvi criar um roteiro para quem deseja aprender a medir capacitância com multímetros que disponibilizam esta função.

Um capacitor nada mais é do que um componente que armazena energia, o seu valor em farad determina a quantidade de energia que cada capacitor pode armazenar.

Sendo assim, a energia armazenada num capacitor pode danificar o instrumento que vai ser usado para executar a medida e dar choques que podem até matar, claro que depende da quantidade de energia armazenada e da sensibilidade de quem está manuseando o instrumento.

a) Para evitar problemas com riscos de choques e proteção ao equipamento é preciso descarregar qualquer capacitor, existem duas formas simples: uma delas é ligar um resistor de 47 Ohms entre os seus terminais, é bom lembrar que não se coloca diretamente em curto-circuito os terminais, pois podem causar danos ao dielétrico do capacitor, portanto a forma de colocar os terminais em curto deve ser descartada.

b) Nunca medir capacitância em um circuito que esteja energizado ou antes que os capacitores do mesmo tenham sido descarregados.

c) Conecte o pino banana preto da ponta de prova com garra jacaré no borne marcado “COM” do multímetro e o vermelho no borne vermelho.

d) Selecione a função capacitância através da chave seletora.

e) Aplique as pontas de prova em paralelo com o capacitor a ser medido.

f) Se for medir um capacitor que esteja ligado em um circuito, solte um dos seus terminais, para que a medição não seja influenciada pelos demais componentes.

g) Leia o valor da capacitância exibida no visor.

h) Os capacitores em geral e especialmente os eletrolíticos, apresentam tolerâncias elevadas, portanto podem resultar em grandes diferenças entre o valor lido e o valor nominal medido.

i) Não toque com os dedos nos terminais do capacitor ou da garra jacaré durante a medição, pois a capacitância parasita do corpo humano poderá causar erros na medição de valores baixos.

j) Leituras incorretas serão obtidas ao se tentar medir a capacitância de um elemento resistivo ou indutivo.

k) Para medir capacitância superior a 100µF, você poderá usar o seguinte procedimento: Primeiro pegue um capacitor que dê uma leitura próxima a 100µF, anote este valor como “Cref”, depois ligue-o em série com o capacitor de valor superior a 100µF e meça o valor resultante, anotando-o como “Ctot”.

Então use a seguinte fórmula para obter o valor do capacitor desconhecido: (Cref X Ctot)/(Cref – Ctot).

Postagens relacionadas
  • Eliminador Baterias
  • Choques Como Proteção
  • Componentes eletrônicos
  • Assim Surgiu a Eletrônica
  • Eletricidade e Eletrônica
  • Iniciando na Eletrônica
  • Posts mais acessados
  • Teste de Bateria (33942)
  • Antena Para Celular (26002)
  • Gerador Números Celular (19755)
  • Amplicador 60 W RMS (18847)
  • Os Gatos & Dúvidas (17864)
  • Utilize a busca para encontrar o tema de seu interesse.
    Pense no meio ambiente antes de este link.