Instalar com o Fio Terra

Entendemos por tensão elétrica a diferença de um potencial existente entre os dois pinos da tomada elétrica, nas tomadas antigas existiam dois fios, um FASE e um fio NEUTRO, a diferença de potencial entre os dois fios é que chamamos de tensão ou voltagem.

No que diz respeito a instalação de microcomputadores, pode ser simplificado em muito o significado destas duas grandezas físicas, intimamente ligadas a qualquer equipamento sendo ele elétrico ou eletrônico.

No universo que nos interessa temos dois tipos de tensão: a tensão alternada e a tensão contínua.

A tensão alternada é a tensão que existe na tomada em que deve ser conectado o micro computador e temos também as tensões contínuas que são geradas pela fonte do computador, estas tensões podem ser de 5 volts negativos em relação ao terra, 12 volts negativos em relação ao terra, 5 volts positivos em relação ao terra e 12 volts positivos em relação ao terra.

Existe ainda uma outra tensão contínua dentro do computador, é a tensão da bateria (pilha) que alimenta uma memória ROM, esta bateria é responsável pela manutenção do programa SETUP do ROM BIOS sempre ativo e pelo funcionamento do calendário e do relógio do computador, que mantém o computador com a data e a hora atualizada.

Quando se tratar de tensão elétrica sempre estarão envolvidas três grandezas físicas: a tensão, a corrente e a resistência.

A tensão estará presente na tomada da rede de energia elétrica, a corrente é a que circula pelo circuito eletrônico do computador, e a resistência é a resistência elétrica do circuito eletrônico do computador.

Numa instalação monofásica normal, temos três fios, sendo eles: um fio FASE, um fio NEUTRO e um fio TERRA.

O fio neutro e o fio fase são responsáveis pela alimentação do equipamento, sendo que a corrente deve chegar por um fio e sair por outro, o terceiro fio, o fio TERRA deve ser ligado à carcaça do equipamento e a outra extremidade do fio deve ser ligado à uma haste de aterramento enterrada no solo com boa capacidade de conduzir, ou seja, meio úmido.

O fio TERRA tem duas finalidades importantes, a primeira é a proteção do usuário contra choques elétricos em caso de defeito do equipamento, isto vale para qualquer equipamento elétrico ou eletrônico.

A proteção existe porque permite que a corrente elétrica seja desviada para a terra através do fio TERRA em caso de um curto circuito com a carcaça do equipamento.

A segunda finalidade do fio terra é ajudar a desviar possíveis surtos de tensão que podem afetar o funcionamento do computador.

Para isso, o computador que é um equipamento com um plug de três pinos, o pino TERRA deve estar conectado à carcaça do equipamento e deve ser sempre utilizado.

A polarização deve ser feita ligando todos os fios existentes na tomada, o fio FASE, o fio NEUTRO e o fio TERRA.

No Brasil não são respeitadas as normas técnicas dos países de primeiro mundo, e as tomadas de nossas casas são com apenas dois pinos, o FASE e NEUTRO, então como fazer uma instalação correta?

Se nossas instalações fossem apropriadas também deveríamos ver uma tomada com três furos, tipo aquelas tomadas para ar condicionado, onde seriam encaixados perfeitamente os três pinos do plug do cabo de força do computador, dessa maneira a polarização do computador estaria correta e não nos ofereceria riscos.

Como no Brasil a maioria das tomadas ainda é de dois furos, que são o FASE e o NEUTRO, não está disponível o fio TERRA.

Como a finalidade principal do aterramento é a proteção de quem utiliza o computador, o fato de um micro não estar aterrado, significa que o usuário está desprotegido e isso poderá ter várias conseqüências: o computador pode dar choques e o ruído da rede de energia elétrica pode atrapalhar no funcionamento normal do computador, e no caso de defeito na fonte, todo o computador pode ser inutilizado.

Uma solução que não é a mais recomendável é a instalação de um filtro de linha, que é polarizado, forçando dessa maneira a polarização de todos os periféricos do computador.

Deve-se ter o cuidado de conectar o filtro de linha polarizado na tomada da rede elétrica, isto é, fio FASE com fio FASE, fio NEUTRO com fio NEUTRO e o fio TERRA com o fio TERRA, nesse caso, o filtro de linha deve ter três pinos e a tomada deve ter três furos, além disso deve ser feita uma ligação de TERRA à terra feita por um eletricista experiente.

Outra maneira, esta sim a maneira recomendável, é a instalação de uma tomada de três pinos, cujo nome correto é tomada bipolar, e respeitando a polarização padrão.

Como em nosso país é permitido o uso de tomadas de dois pinos e que não é levado em conta a polarização, pois a norma existente no Brasil é incompleta, é muito comum encontrar empresas que adotam o lado direito da tomada como FASE e outras que adotam o lado esquerdo da tomada como fase e outras que nem sabem qual é o fio FASE ou o fio NEUTRO da tomada, por isso não dá mesmo para confiar sem fazer uma pesquisa para a identificação dos fios na tomada.

Se for feito um estudo nos equipamentos existentes e que utilizam tomadas de três pinos, pode ser verificado que o fabricantes destes equipamentos interrompem o fio que será ligado do lado direito da tomada, isso significaque o projetista do equipamento pretende que a polarização respeite uma convenção internacional que é a seguinte: o fio FASE deve estar no lado direito de quem olha para a tonada, o fio NEUTRO deve estar no lado esquerdo de quem olha para a tomada, observe novamente a figura acima.

Em alguns estabilizadores de fabricação nacional existe uma recomendação que se utilize o fio fase no lado direito da tomada e outros que recomendam o contrário.

Como se percebe, é difícil entender, mas se o fabricante for um fabricante reconhecido no mercado é recomendável seguir o que ele sugere a respeito de seus equipamentos, pois qualquer dano que venha a ser causado, em princípio fica por conta do fabricante.

É interessante observar que o do lado em fica o fio FASE é a polarização propriamente dita, ou seja, todos os fios FASE de todos os equipamentos devem estar no mesmo lado da tomada, sendo que quando o equipamento for desligado, o fio FASE é que será interrompido.

Em hipótese alguma deve ser ligado o fio TERRA ao fio NEUTRO, isto pode parecer uma solução, mas se forem invertidas as ligações FASE e NEUTRO da instalação elétrica, o computador ficará com a tensão de alimentação na carcaça, isso quer dizer que os 110 volts ou os 220 volts da rede de energia elétrica estarão na carcaça do equipamento, dando choques em qualquer pessoa que tocar no equipamento, podendo até mesmo ser fatal à vida humana.

Para saber a polaridade da tomada em que você vai instalar seu computador, você pode inicialmente procurar o fio FASE com um busca pólo, é uma pequena chave de fenda e de teste, que indica se existe FASE ou não em determinado ponto da fiação elétrica.

Para verificar a existência de FASE, é só usar uma chave busca pólo e encostar a ponta da chave no ponto a ser testado, no nosso caso, deve ser o lado direito da tomada bipolar, não esqueça de encostar o dedo na parte posterior do cabo da chave de fenda, caso contrário, a lâmpada nêon que existe dentro do bulbo da chave de fenda não acenderá e a medida não será precisa.

Não tenha medo, essa medida não provoca choques, a não ser se você encostar alguma parte do corpo em algum ponto metálico da chave de fenda.

Se a lâmpada que existe dentro do bulbo acender, esse é o fio FASE, caso não acender, esse é o fio NEUTRO.

Uma vez identificado o pólo vivo da rede de energia elétrica, é só continuar a instalação, se o fio do lado direito da tomada não for o fio fase, é bom adotar o padrão e alertar a quem possa interessar sobre a mudança.

A tensão existente na rede de energia elétrica nos temos conhecimento, que no nosso caso é de 220 volts.

Para ter certeza do nível de tensão que é medido em volt, devemos usar um multímetro, pode ser um multímetro analógico ou digital, isso não importa, o que é importante é que sua chave seletora deve estar na seção ACV e na primeira escala superior mais próxima da tensão a ser medida, encoste uma das pontas de provas em um dos fios e a outra ponta de prova no outro fio, nessa medida não será necessário observar qual das pontas de prova fica em qual fio, pois se trata de tensão alternada, e com as pontas de provas encostadas nos fios, visualize no display do multímetro o nível de tensão, observe se confere com a tensão da rede de energia elétrica.

Um estudo detalhado para usar um multímetro levaria vários dias, mas no nosso caso isso não será necessário, com pouca experiência é obvio que devemos ter a máxima atenção no uso do multímetro, que como o próprio nome diz, executa várias funções e mede várias grandezas.

Todas as vezes em que tivermos que utilizar o multímetro, deve ser observada a posição da chave seletora da escala da grandeza a ser medida, evitando danificar o multímetro ou medir algo, que não corresponde com o que se deseja medir.

Se for necessário medir uma bateria de carro, onde a tensão obviamente é contínua, deve ser escolhida a seção DCV e a escala que possuir como valor máximo, a primeira escala superior ao valor que será medido, e ao mesmo tempo o valor mais próximo possível, de forma que se o multímetro possuir uma escala de 15 volts e uma escala de 30 volts, deve ser escolhida a escala de 15 volts e a seção será a seção DCV.

Como a tensão é contínua, a posição das pontas de prova deve ser observada, a ponta de prova preta deve fazer contato elétrico com o negativo, a ponta de prova vermelha deve fazer contato elétrico com o ponto em que se deseja medir a tensão.

Se for necessário medir uma rede de energia elétrica, onde a tensão é alternada, e que se espera encontrar 220 volts, deve ser escolhida a seção ACV e a escala que possuir como valor máximo, a primeira escala superior ao valor que será medido, e ao mesmo tempo o valor mais próximo possível, de forma que, se o multímetro possuir uma escala de 200 volts, e uma escala de 300 volts, deve ser escolhida a escala de 300 volts na seção ACV.

PS: Este texto foi escrito antes da entrada em vigor das novas tomadas de três furos:  Clique aqui para acessar o texto com o novo padrão de tomadas no Brasil.