Retificadores e Nomenclaturas

O retificador é um circuito que faz a conexão entre uma fonte de corrente alternada (CA) e uma carga em corrente contínua (CC), ou seja, converte uma tensão alternada (CA) em tensão contínua (CC).

A tensão alternada não é “plana” igual a tensão de uma bateria, a tensão alternada contém um componente que é chamado de ripple, esse ripple sobrepõe mais ou menos a metade de uma corrente contínua (CC).

Existem vários tipos possíveis de retificadores, e, de acordo com cada tipo, obtém-se diferentes ripples, tensão média e eficiência na saída.

E, de acordo com a natureza da carga, influências significativas podem ocorrer na tensão alternada (CA) de alimentação.

Os circuitos retificadores são divididos em dois grupos, os de meia-onda e os de onda completa ou em ponte ou dois caminhos, só para deixar claro, os retificadores de meia-onda são os retificadores de um caminho, e os retificadores de onda completa são os retificadores de dois caminhos.

Os retificadores de meia-onda são aqueles que possuem um diodo por fase da tensão alternada de alimentação na entrada.

Todos os diodos são ligados em cátodo ou ânodo comum em um terminal de carga, e o outro terminal da carga ligado ao neutro do transformador de alimentação.

A expressão meia-onda vem do fato de que, em cada fase na entrada, a corrente só segue em uma direção, por isso alguns autores preferem a denominação um caminho.

Os retificadores de onda completa correspondem à associação de dois retificadores de meia-onda ligados em série, um deles leva a corrente até a carga, e o outro faz o retorno para a entrada da corrente alternada, assim é eliminada a necessidade de uma fonte de corrente alternada com neutro.

A expressão onda completa provém de que, em cada fase na entrada, a corrente tem dois sentidos, com o valor médio nulo, por isso alguns autores preferem a denominação dois caminhos.

Quanto à característica de controle, os retificadores se enquadram em uma das seguintes categorias: sem controle, meio controlado ou híbridos e totalmente controlado.

O retificador sem controle é aquele que contém apenas diodos, fornecendo à carga uma tensão média fixa que depende da tensão alternada presente na entrada.

O retificador totalmente controlado é aquele que contém apenas tiristores ou então transistores de potência, nesses retificadores, se utilizados circuitos de disparo apropriados, o valor médio entregue à carga pode ser controlado de um valor positivo até um valor negativo.

Esse fato caracteriza esses retificadores como conversores bidirecionais, pois o fluxo de potência ora vai da entrada para a carga, ora da carga para a entrada.

O retificador híbrido ou meio controlado é formado por um misto de diodos e tiristores, o valor médio na carga é controlado, mas é sempre positivo, desde um valor médio máximo até zero.

Esse fato caracteriza esses retificadores como conversores unidirecionais, pois o fluxo de potência vai sempre da entrada para a carga.

É pelo número de pulsos que forma-se a tensão de saída de um retificador, e consequentemente define-se quantas vezes essa tensão de saída é maior que a tensão de entrada.

Por exemplo, num retificador de seis pulsos quer dizer que o ripple de saída é seis vezes maior que a frequência da entrada, nesse exemplo, se a frequência fundamental for de 60 Hz o ripple na saída será de 360 Hz.

Postagens relacionadas
  • Assim Surgiu a Eletrônica
  • Repelente Não Funciona
  • A Corrente é …..
  • Excesso de Corrente
  • Porque Não Atendo
  • Diodo Controlado (SCR)
  • Posts mais acessados
  • Teste de Bateria (38944)
  • Gerador Números Celular (29422)
  • Antena Para Celular (28865)
  • Amplicador 60 W RMS (21230)
  • Os Gatos & Dúvidas (19572)
  • Utilize a busca para encontrar o tema de seu interesse.
    Pense no meio ambiente antes de este link.