Alarme de Passagem

O circuito mostrado na figura abaixo pode ser utilizado para avisar quando o feixe de luz infravermelho for interrompido, as aplicações são inúmeras, e na verdade, só depende da imaginação.

O circuito foi testado como alarme de passagem em uma porta normal de 80 centímetros e não foi preciso utilizar lentes para aumentar o ganho do LED foto-emissor, com a concentração do feixe de luz é possível monitorar uma porta de até 4 metros.

O foto-transistor deve ficar em local em que a luz ambiente não ilumine a sua superfície foto-sensora, nas experiências utilizei um tubo de caneta com fita isolante preta com a finalidade de deixar o foto-transistor totalmente no escuro.

O foto-emissor pode ser qualquer diodo emissor de luz (LED) infravermelho, obviamente que uma lâmpada normal também funciona, mas o “suposto larápio” ficaria sabendo que existe algo que o espera, e na da como uma boa surpresa, não é não?

O circuito é simples e uma luz normal de 12 volts acende quando o feixe de luz entre o foto-emissor e foto-sensor é interrompido mesmo que por uma fração de segundo, a lâmpada pode ser substituída por um relê com bobina de 12 volts, e qualquer dispositivo pode ser acionado quando o feixe de luz sobre o foto-transistor for interrompido, a potência a ser controlada nesse caso depende da capacidade dos contatos do relê.

O circuito não faz milagres, a lâmpada fica acesa ou o relê acionado apenas durante o tempo em que o feixe de luz for interrompido, isso dá a possibilidade da economia da bateria usada na alimentação (geralmente pilhas) e também do acionamento por infinitas vezes, como o “intrometido” não sabe como funciona o alarme, ele com certeza não vai ficar para descobrir, principalmente se o relê acionar uma sirene de uns 120 decibéis.

Eletronicamente falando, o LED foto-emissor fica sempre ligado, e a olho nu não é percebido, e o foto-sensor (TIL78) continua captando o sinal de luz, e polariza o transistor BC 549, que por sua vez faz com que o transistor BD 139 fique em estado de corte, fazendo com que a lâmpada permaneça apagada.

Quando o feixe de luz é interrompido, o foto-transistor TIL 78 deixa de polarizar a base do transistor BC 549, e ele deixa de forçar ao transistor BD 139 de permanecer em estado de corte, sem a polarização negativa fornecida pelo transistor BC 549 e polarizado positivamente através do resistor de 2,2K ohms o transistor BD 139 passa a conduzir e faz a lâmpada acender.

O diodo 1N4004 serve para proteção contra picos de alta tensão caso seja utilizado um relê no lugar da lâmpada.

O circuito funciona com alimentação de 6 a 30 volts, mas a lâmpada ou o relê deve ser de acordo com a tensão de alimentação, sugeri 12 volts pelo fato de ser comum, além disso, uma bateria de moto ou de carro deve ser comum numa casa, afinal, você não vai correr o risco de instalar algum sistema que dependa exclusivamente da rede de energia elétrica, ou vai?

Pense no meio ambiente antes de este link.
Utilize a busca para encontrar o tema de seu interesse
 
  Compartilhar Link no Facebook