Repelente de Pernilongos

Os cientistas fizeram com animais e insetos muitas experiências e provaram que os animais tem a capacidade de ouvir frequências muito maiores que os seres humanos, os seres humanos escutam frequências entre 20 Hz até próximo 16.000 Hz (16 KHz), mas os animais podem ouvir até 100.000 Hz (100 KHz), os cientistas também descobriram que algumas frequências causam irritações aos insetos, e com base nestas descobertas podemos criar um repelente eletrônico de pernilongos que funciona com ondas de ultra som repelindo os indesejáveis insetos do ambiente em que estão instalados.

O repelente funciona mais ou menos como você estar num ambiente onde tem alguém escutando música em volume alto, e no seu gosto musical aquele tipo de música não lhe agrada e ainda por cima está com volume alto, se você é dono do ambiente você vai tomar as providências para que parem com a música chata, se você não tem autoridade para intervir, você só tem uma opção, que é a de se afastar daquele ambiente, com os insetos é a mesma coisa, mas é bom levar em conta que assim como nos seres humanos, sempre tem algum ou alguns teimosos, e insistem em ficar no local.

Os repelentes eletrônicos para insetos atuam em aproximadamente 5 metros do local onde está instalado, o resultado é uma atuação em torno de 25m2, e para ambiente maiores deve-se usar mais unidades de repelentes.

Ao contrário do que alguns dizem, o aparelho repelente não deve permanecer ligado as 24 horas do dia, pois além de poder acostumar os insetos com o ruído que o repelente gera, ainda tem o consumo de energia, que é baixo, mas enfim, economizar também é bom.

Os cientistas provaram que somente as fêmeas fecundadas dos pernilongos é que se alimentam de sangue fresco e não estão afim de acasalamento, pois já estão fecundadas.

O circuito abaixo é do aparelho que reproduz o som do pernilongo macho em busca de acasalamento o que faz com que as fêmeas fecundadas saiam do local onde se encontra o aparelho.

Tem que ser levado em conta que para cada tipo de inseto deve-se utilizar um tipo de repelente, pois cada repelente só espanta um tipo de inseto, no nosso caso, estamos espantando pernilongos, portanto, este circuito não serve para outros insetos, quem desejar que experimente, pode até funcionar, mas não é a ideia desse projeto.

No circuito sugerido abaixo, o potenciômetro (P1) permite que o usuário do aparelho ajuste a freqüência e assim faça experiências no sentido de encontrar aquelas frequências que façam os efeitos desejados.

O circuito sugerido é bem simples e se baseia somente em transistores, o que facilita muito sua montagem pelos iniciantes, ou até por aqueles que não tenham muitos recursos em sua bancada de eletrônica, pois podem aproveitar tudo da sucata (ops, material didático).

A alimentação pode ser feita até com quatro pilhas pequenas, a corrente que o circuito consome é muito pequena, e a durabilidade das pilhas será enorme, mesmo assim, o circuito completo prevê um transformador, porque gastar com pilhas é prá lá de chato, além disso, um transformador custa mais ou menos o mesmo que dois jogos de pilhas.

O transformador tem saída de 6 volts, sem tomada central (sem derivação) e entrada de 110 ou 220 volts, S2 do circuito faz o chaveamento para a tensão da rede elétrica, liga e desliga o repelente de pernilongos, e conforme citado, P1 faz o ajuste de freqüência, quem dispuser de frequencímetro  ajustar a freqüência para 22 KHz, quem não tiver frequencímetro  deixe P1 na posição de maior resistência, e depois vá ajustando até deixar de ouvir o zunido gerado pelo repelente de pernilongos.

Na figura abaixo temos o diagrama completo do repelente de pernilongos.

O transdutor (BZ)é do tipo pie-zoelétrico de cerâmica-MP-10 ou equivalente, na falta pela dificuldade em encontrar, uma cápsula de fone de cristal retirada de telefone antigo também serve, fiz também experiências com pie-zoelétrico que
vem nas tampas dos relógios de pulso, os melhores resultados foram obtidos com os pie-zoelétricos dos relógios G-shok, que são pequenos e bem delicados, a soldagem deve ser rápida e segura, se esquentar demais, o componente deixa de funcionar.

Os transistores admitem equivalentes, qualquer transistor NPN de sinal e de uso geral pode ser utilizado neste circuito, esteja atento na posição de soldagem dos terminais, equivalente não quer dizer igual em tudo, por exemplo: BC639 é
equivalente do BC548, mas a disposição dos terminais é diferente.

A ponte de diodos é feita com 4 diodos do tipo 1N4007 ou equivalente, cuidado na posição de soldagem, o diodo tem posição certa de soldagem.

Os resistores são todos de 1/8 W e para o ajuste pode ser usado um potenciômetro conforme sugere o esquema, quem desejar pode usar um trimpot.

Os capacitores C1 e C2 são de poliéster ou de disco cerâmicos, e C3 é um eletrolítico de 15 Volts, cujo valor pode ficar entre 680 µF e 2200 µF, C4 pode ser de qualquer tipo, o que estiver mais a mão, apenas o valor de 100 µF deve ser respeitado, C4 tem a função de deixar o circuito estável.

Para testar o aparelho, basta ligar a alimentação e ajustar P1 para que haja a emissão de um som semelhante ao produzido pelo pernilongo, faça tentativas em diversas frequências no sentido de descobrir a que funciona.

Lista de materiais

Semicondutores:

Q1, Q2 – BC548 ou equivalente – transistores NPN de uso geral
D1 a D4 – 1N4007 ou equivalente (diodo retificador)

Resistores:
R1, R2 – 2K7 (vermelho, violeta, vermelho)
R3 – 12 K – (marrom, vermelho, laranja)
R4 – 1K – (marrom, preto, vermelho)
P1 – 220K – trimpot ou potenciômetro

Capacitores:

C1, C2 – 56 nF (impresso no corpo 563 se for de disco cerâmico ou 0,056 se for
de poliéster)
C3 – 680 µF a 2200 µF para 16 Volts (eletrolítico)
C4 – 100 nF (impresso no corpo 104 se for de disco cerâmico ou 0,1 se for de poliéster)
TR1 = Transformador com entrada para 110/220 e saída para 6 volts, de preferência sem derivação central.

Diversos:

BZ – Transdutor cerâmico MP-10 ou equivalente (ver texto acima)
S1 – Interruptor simples
S2 – Chave de duas posições
Se optar por pilhas, poder ser usadas de duas a quatro pilhas, suporte de pilhas,
caixa para montagem, botão para o potenciômetro, fios, solda, etc.
Para usar, basta ligar o aparelho no ambiente uma hora antes de ficar no ambiente.

Pense no meio ambiente antes de este link.
Utilize a busca para encontrar o tema de seu interesse
 
  Compartilhar Link no Facebook