Choques Como Proteção

Um aparelho que dá choques quando alguém toca em algum produto metálico em cima da carroceria de um veiculo era o que me faltava, e encontrar no comércio seria difícil, claro que seria necessário adaptar.

Meu trabalho de ganha pão é fazer entregas de gás GLP, a eletrônica é minha cachaça, mas de vez em quando eu preciso juntar as duas atividades para tirar algum proveito.

Todo entregador tem que se afastar do veículo para fazer entregas, e no meu caso os veículos seguem um padrão: devem ser abertos, é por segurança, afinal, gás é um produto perigoso, mas isso deixa uma lacuna na segurança.

Para levar um ajudante para ficar cuidando da carga é um salário a mais no final do mês, para deixar o carro e fazer entregas existe o risco de um abobado se engraçar e levar parte ou até a totalidade da carga.

Certo dia, um espertinho resolveu roubar e nada pode ser feito a não ser contabilizar R$ 200.00 de prejuízo, mas é uma covardia, com meu conhecimento porque não fiz nada para impedir o roubo?

Então comecei a pensar numa forma prática e que não colocasse em risco quem não estivesse com más intenções, como sabemos, o choque assusta, mas da forma que o circuito foi criado só dá um susto gigante sem risco de morte, mas não deixa o ladrão à vontade, afinal, na hora do choque podem surgir milhões de pensamentos.

O circuito que criei e estou usando numa Strada Working gera uma alta tensão, como a carroceria é isolada ficou perfeito, fiz uma grade de fios e coloco em cima dessa grade os botijões, cada vez que me afasto do veículo eu aciono o sistema por controle remoto do tipo alarme de carro, ou seja, uma central de comando por controle remoto liga e desliga o sistema que protege a minha carga.

O circuito eletrônico tem como coração um CI do tipo IRF2153, a malha osciladora é formada por C2 e R2, observe que C2 é polarizado e tem posição certa a ser observada para ser soldado no circuito.

Com os valores sugeridos a frequência é em torno dos 20 Hz, nessa frequência o choque é bem “doido”, mas dá tempo do afetado se safar, mas não consegue suportar os efeitos do choque, por isso afirmo que se alguém morrer é de susto e não devido ao choque.

Q1 é um transistor de efeito de campo canal N, usei o IRF3205 que suporta altas correntes, afinal, o sistema pode ter que ficar ligado por horas, nesse circuito o transistor nem sequer amornou ficando uma hora ligado.

C1 pode ter de 220 uF a 2200 uF, apenas observar a tensão de trabalho de 25 volts ou mais, R1 é limitador de corrente, sua função é proteger o Gate de Q1 e o CI IRF2153, valores de 8 a 15K funcionam perfeitamente.

C3 protege Q1 de oscilações e ameniza os picos de tensão entre os terminais do transistor.

A bobina de alta tensão é uma bobina de fusca ou similar, na carcaça dela há a indicação de como deve ser ligada no uso automotivo, no nosso caso é simples: liga o dreno do transistor em terminal e o outro terminal no positivo da alimentação.

O terminal “bicudo” é a saída de alta tensão, não coloque os dedos, mãos, ou experimente com objetos metálicos para saber se está dando choques, como pode ser visto no vídeo abaixo, usei uma vela automotiva para me certificar do funcionamento do circuito.

Até mesmo a famosa chave de teste dá choque devido a alta tensão gerada, então, cuidado.

O esquema desse circuito e toda a simplicidade é mostrado na imagem abaixo, não há ajustes as serem feitos, apenas os cuidados ao manusear energia elétrica e principalmente alta tensão.

Ibytes_protetor_cargas

Para ver o circuito funcionando assista o vídeo abaixo:

Postagens relacionadas
  • Bloqueador de Sinal GPS
  • Adeus Bateria de 9 Volts
  • Lote de BF494 Falsificado
  • Eliminador Baterias
  • Campainha Sem Fios
  • Lâmpada Inteligente
  • Posts mais acessados
  • Teste de Bateria (41594)
  • Gerador Números Celular (33978)
  • Antena Para Celular (30524)
  • Amplicador 60 W RMS (22343)
  • Os Gatos & Dúvidas (20817)
  • Utilize a busca para encontrar o tema de seu interesse.
    Pense no meio ambiente antes de este link.