Estudo das Classes

A quase totalidade de estudos realizados são dedicados a classes de operações diferentes e sob condições bastante específicas.

Para se ter uma visão mais abrangente do que é estudar ou pesquisar os amplificadores de áudio, é conveniente fazer uma breve revisão bibliográfica destas estruturas amplificadoras.

Os amplificadores classe A são os de menor rendimento, mas são os que apresentam menor distorção, em geral, são discutidos apenas para fins de comparação.

Geralmente, a maioria das análises são desenvolvidas para cargas resistivas, e quando cargas reativas são consideradas a classe de operação utilizada fica restrita à classe B ou à classe AB, considerando uma pequena corrente de polarização.

Isto acontece por este tipo de classe apresentar um equacionamento muito mais simples, pois são utilizadas cargas com o módulo da impedância constante, onde a variação é apenas na fase. em alguns casos também são considerados modelos comerciais de caixas acústicas.

As classes G e H operam com diferentes tensões de alimentações no estágio de potência, e é comum descrevê-las e analisá-las apenas para dois estágios.

Para as classes G e H com mais de dois estágios a literatura é muito fraca, apenas algumas citações são mencionadas para três e quatro estágios e as poucas análises encontradas são feitas para tecnologias de transistores diferentes e o dimensionamento nessas etapas é abordado de forma bem superficial.

Devido à pouca ou a insuficiente quantidade de informações ou falta de generalização dos tratamentos matemáticos encontrados na literatura relativa aos estágios de potência, propõe-se mais trabalho:

a) Análise unificada das classes A, B, AB, G e H, tanto para cargas resistivas quanto para cargas reativas.

b) Expressão genérica para as classes G e H de vários estágios.

c) Generalização da expressão do rendimento para as classes A, B, AB, G e H.

d) Equacionamento para as diferentes classes levando em conta as tecnologias dos transistores utilizados.

d) Metodologia para o dimensionamento da etapa de potência a partir das potências média e instantânea, e do modelo eletrônico e térmico do sistema transistor, dissipador e ambiente, considerando a carga reativa.

Em outros textos desta seção vamos analisar as classes considerando a carga resistiva com o objetivo de demonstrar o comportamento de cada uma das classes quanto à polarização, perdas, modo de operação e rendimento.

Também vamos estudar as classes considerando a carga reativa com o objetivo de demonstrar os esforços de cada uma das classes sob as condições reais de operação.

Nesta seção também faremos um estudo do processo de dissipação de calor usando o modelo eletrônico e térmico do sistema transistor, dissipador e ambiente, também será proposto um método para o dimensionamento térmico da etapa de saída.

Iremos além, serão apresentados exemplos ilustrativos usando carga resistiva e carga reativa, também serão apresentadas as conclusões e uma visão geral dos resultados obtidos, como também propostas para o aprimoramento do método e das expressões determinadas são também apresentados.

Os textos não estão prontos, serão publicados de acordo com a disponibilidade do autor, portanto, continue acompanhando.

Postagens relacionadas
  • Classes de Operação
  • Amplificadores Após a Válvula
  • Posts mais acessados
  • Teste de Bateria (44353)
  • Gerador Números Celular (38614)
  • Antena Para Celular (32200)
  • Amplicador 60 W RMS (23569)
  • Os Gatos & Dúvidas (22143)
  • Utilize a busca para encontrar o tema de seu interesse.
    Pense no meio ambiente antes de este link.