Ataque Químico Mesa

A Fabricação de Transistores Usando a Tecnologia Por Ataque Químico

A fabricação de transistores usando a tecnologia por ataque químico era usada amplamente em muitos tipos de transistores, esse tipo de tecnologia permitia que as transições do transistor fossem controladas, em particular que as transições da junção coletor-base fossem claramente definidas.

O ataque químico mesa também constituía um processo preliminar na “vedação” das transições de transistor para evitar a contaminação das transições da junção e a conseqüente variação das características durante o serviço.

A tecnologia está sempre mudando e novos matériais são testados todos os dias e foi descoberto que o silício era o material da vez, e assim, com a introdução do silício durante a década de 1950 os fabricantes de transistores tinham disponível um novo material e com vantagens consideráveis sobre o germânio.

Em particular, os transistores de silício suportam temperaturas bem mais altas na junção e correntes de fuga mais baixas do que os transistores de germânio.

As técnicas de liga desenvolvidas para o germânio foram aplicadas ao silício, os transistores PNP de silício passaram a ser fabricados com uma fatia de silício do tipo N (que formava a base) na qual as pelotas do emissor e do coletor eram ligadas do mesmo modo que nos transistores de junção por liga de germânio, e o material usado nas pelotas da liga passou a ser alumínio.

Postagens relacionadas
  • Retificadores e Nomenclaturas
  • Assim Surgiu a Eletrônica
  • Repelente Não Funciona
  • A Corrente é …..
  • Excesso de Corrente
  • Porque Não Atendo
  • Posts mais acessados
  • Teste de Bateria (47298)
  • Gerador Números Celular (41776)
  • Antena Para Celular (33573)
  • Amplicador 60 W RMS (24600)
  • Os Gatos & Dúvidas (23535)
  • Utilize a busca para encontrar o tema de seu interesse.
    Pense no meio ambiente antes de este link.